F1

Hamilton reconhece que ainda é difícil de “entender a magnitude do pentacampeonato na F1”

Lewis Hamilton ainda não consegue dimensionar o tamanho das conquistas que alcançou na Fórmula 1. Falando sobre seu pentacampeonato, disse que chegou a sonhar em ser um multicampeão, mas reconheceu que o sonho também era bastante ousado

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Conquistar cinco títulos mundiais é tarefa para se orgulhar, e Lewis Hamilton entende bem do assunto. O inglês comentou, inclusive, que ainda é difícil entender o tamanho dos números alcançados na Fórmula 1.
 
Em uma entrevista para a Mercedes, o #44 admitiu que já chegou a sonhar em ser cinco vezes campeão, mas também reconheceu que era uma meta bastante ousada. “Se eu pensei que seria pentacampeão mundial? Claro que sonhei sobre isso, mas, caramba, cara, sonhei com muitas coisas que não aconteceram”, falou o britânico, que completa 34 anos nesta segunda-feira (7).
Lewis Hamilton fez a festa no GP da Espanha (Foto: Mercedes)
“É realmente difícil pensar que apenas seis anos atrás entrei nessa equipe e tinha somente um título e agora tenho mais quatro. Não é um número insignificante e é muito, muito difícil, se não impossível, dimensionar a magnitude do que esses quatro significam”, continuou.
 
“É estranho porque é quase como se apenas um não significasse muito, é legal. Dois, nada mal. Três é como, bem, você está começando a se sair bem. As pessoas começam a perceber a força, a habilidade, consistência e todas essas coisas difíceis”, completou Lewis.
 
Hamilton conquistou quatro dos últimos cinco títulos disputados e, apesar de multicampeão, afirmou que cada um tem um significado diferente. “Vencer o campeonato do mundo é um sentimento incrível. Mas cada um teve um sentimento diferente em tantas maneiras”, encerrou.

O primeiro título do piloto inglês veio em 2008, apenas em sua segunda temporada na F1, depois de uma batalha contra Felipe Massa, então na Ferrari. Apesar de sempre se manter competitivo e vencendo corridas, Hamilton precisou esperar seis campeonatos para conquistar o bi, em 2014, no primeiro ano da era híbrida da F1. De lá para cá, foram mais três taças, sempre guiando em alto nível. A temporada que passou, aliás, é considerada por muitos a melhor de sua carreira até aqui.