Hamilton supera problema, Räikkönen e Rosberg para liderar sexta-feira na Malásia. Massa é sexto

Lewis Hamilton ignorou o tempo perdido com o contratempo no motor de seu carro nesta sexta-feira (27) em Sepang. Quando teve a chance de voltar à pista, foi novamente perfeito, cravando o melhor tempo do dia no segundo treino livre para o GP da Malásia. A Ferrari ficou perto com Kimi Räikkönen, enquanto Felipe Massa foi o sexto. Felipe Nasr terminou a sessão em 12º

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Se pela manhã Nico Rosberg soube bem como tirar proveito do contratempo mecânico de seu companheiro de Mercedes, a tarde a história foi contada de forma diferente. A equipe alemã trabalhou rápido para resolver a falha no sistema de admissão do motor do carro do bicampeão e conseguiu mandá-lo à pista com tempo para bater colega.

Hamilton só pôde sair com os pneus médios – a versão mais macia deste fim de semana – nos 20 minutos finais e não desperdiçou a oportunidade. Para assegurar a liderança do dia, o britânico cravou 1min39s790. Lewis foi o único a virar abaixo de 1min40s.

E quem terminou mais próximo do líder do campeonato? Errou quem disse Rosberg. A Ferrari surpreendeu de novo e colocou um rápido Kimi Räikkönen em segundo, ‘apenas’ 0s373 atrás do piloto prateado. Aliás, os ferraristas estiveram por boa parte do tempo na ponta de cima da lista de tempos, e o finlandês liderava no momento em Hamilton decidiu andar de verdade.

 A Nico coube o terceiro posto — quase meio segundo atrás de Lewis.

Logo atrás do trio surgiu a Red Bull. O russo Daniil Kvyat foi o quarto mais veloz, andando também na casa de 1min40s346. 

 
A Williams apareceu na sequência, com Valtteri Bottas melhor que Felipe Massa. Sebastian Vettel foi o sétimo, seguido por Max Verstappen, Marcus Ericsson e Daniel Ricciardo. Felipe Nasr, agora de volta ao cockpit da Sauber, terminou o treino em 12º.

Pelos lados da McLaren, a sessão foi mais complicada à tarde. Fernando Alonso, que chegou a escapar da pista na parte final das atividades, foi o 16º, uma posição melhor que Jenson Button.

Lewis Hamilton deixa os boxes em Sepang – o inglês foi o melhor do dia (Foto: Getty Images)

Confira como foi o segundo treino livre da F1 para o GP da Malásia

Pouco antes do início do segundo treino livre em Sepang, a Mercedes confirmou que a falha que tirou Lewis Hamilton da primeira sessão foi no motor, no sistema de admissão. Os mecânicos passaram todo o intervalo trabalhando no carro do inglês. Outra informação que veio logo depois do TL1 foi com relação a Felipe Massa. O brasileiro e a Williams escaparam de uma punição pelo uso excessivo do jogo extra de pneus da Pirelli.

Dito isso, a imagem que abriu os trabalhos do TL2 foi a de Fernando Alonso. Sorridente, o espanhol, que retorna ao cockpit da McLaren, bateu um papo rápido e descontraído com o pessoal da Ferrari no pit-lane. Mas enquanto o bicampeão ainda se preparava para as atividades vespertinas, o novato Will Stevens foi o primeiro a deixar os pits com a Manor Marussia. Kimi Räikkönen saiu na sequência.

E Stevens logo já registrou a primeira volta cronometrada da sessão. O inglês abriu os trabalhos em 1min46s705, menos de um décimo pior do que sua melhor marca pela manhã.

Também na pista, Räikkönen iniciou seus giros cronometrados. E logo surgiu na ponta da tabela, com 1min41s002, impondo 5s2 para a pequena Manor. O finlandês, entretanto, acabou sendo batido por Sebastian Vettel, que deixou rapidamente os boxes nesses primeiros minutos de sessão.

As imagens da F1 em Sepang
#GALERIA(5255)

Max Verstappen, Marcus Ericsson, Romain Grosjean e Nico Hülkenberg também se juntaram aos ferraristas e já começaram a se posicionar na tabela. Daniel Ricciardo, Pastor Maldonado e Carlos Sainz Jr. saíram logo em seguida.

Enquanto isso, o tetracampeão da Ferrari já virava em 1min40s652, aumentando para 0s3 a vantagem para o companheiro de equipe. A ordem provisória era: Vettel, Räikkönen, Ricciardo, Verstappen, Sainz, Ericsson, Alonso, Maldonado, Sergio Pérez, Grosjean, Hülkenberg e Stevens.

Nesse meio tempo, a Lotus de Maldonado apresentou um problema com a carenagem lateral, que quase se desprendeu totalmente do carro. O incidente obrigou o venezuelano voltar rápido para os boxes.

Na pista, Felipe Massa e Felipe Nasr, agora de volta ao cockpit da Williams, já faziam suas primeiras voltas cronometradas. Valtteri Bottas seguiu os dois xarás, logo à frente de Nico Rosberg. Lewis Hamilton ainda seguia parado, aguardando o trabalho dos mecânicos em seu carro.

Daí que o alemão da Mercedes logo foi lá se colocar na ponta, com 1min40s438, apenas dois décimos melhor que Vettel. Räikkönen ainda era o terceiro, uma posição melhor que Bottas. Massa já havia se colocado em quinto. Já Nasr aparecia em 12º. Pelos lados da McLaren, Alonso detinha o 11º tempo, enquanto Button vinha duas colocações atrás. 

Pouco antes de voltar aos boxes, Rosberg ainda teve tempo de cravar 1min40s282 e ampliar para 0s370 a distância para a Ferrari de Vettel. Kimi vinha 0s7 atrás, enquanto Bottas era mais de 1s mais lento. Massa, 1s2 atrás do líder, continuava na pista. Como de costume, todos os tempos dessa primeira parte da sessão foram feitos em cima dos pneus duros. 

Por conta da perda do TL1, Nasr ficou bastante tempo na pista nessa fase intermediária da sessão. E foi nesse momento também, perto dos 30 minutos de treino, que Vettel decidiu sair com os pneus médios – os compostos mais macios do fim de semana. Räikkönen imitou o companheiro de equipe.

Só que o plano ferrarista foi logo interrompido por uma rodada de Roberto Merhi. O espanhol da Manor escapou na curva 11 e ficou parado na brita. Por causa do resgate, a direção de prova acionou a bandeira vermelha.

Kimi Räikkönen durante o primeiro treino livre em Sepang (Foto: Getty Images)

A paralisação durou cerca de dez minutos. Quando a bandeira verde foi novamente agitada, a Mercedes tratou de mandar Hamilton de volta à pista, depois de um trabalho hercúleo no carro do inglês. A Ferrari, em seguida, devolveu seus dois pilotos calçados com os pneus médios. Lewis foi ainda com os duros.

Aí, enquanto Kimi já cravava o melhor tempo com 1min40s163, Vettel se via ao contrário na mesma curva que vitimou Merhi. O tetracampeão, entretanto, teve mais sorte e conseguiu retornar à pista. Nesse tempo, Rosberg saiu com os médios, assim como Bottas.

Com isso, a nova ordem passou a ser: Räikkönen, Rosberg (+0s055), Bottas, Massa, Vettel, Hamilton (ainda com pneus duros), Verstappen, Ericsson, Kvyat e Ricciardo – esses dois últimos também com o composto laranja.

Mas não demorou para Hamilton finalmente sair com os pneus médios. Restavam pouco mais de 25 minutos para o fim, quando o inglês deixou os boxes e iniciou o seu stint com os compostos mais rápidos.

Logo em seguida, o treino entrou na fase das simulações de corrida, avaliação dos dois tipos de pneus com tanque cheio e vazio. Ou seja, ninguém mais melhorou as marcas.

Assim sendo, o TL2 malaio terminou com Hamilton como o tempo mais veloz do dia, seguido pela surpreendente Ferrari de Räikkönen. Nico Rosberg ficou mesmo em terceiro, quase meio segundo atrás de Lewis.

Agora, os pilotos voltam à pista apenas neste sábado, para mais um treino livre e a classificação, que vai definir o grid de largada.

F1, GP da Malásia, Sepang, Treino livre 2:

1 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:39.790   16
2 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI 1:40.163 +0.373 29
3 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:40.218 +0.428 26
4 26 DANIIL KVYAT RUS RED BULL RENAULT 1:40.346 +0.556 17
5 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES 1:40.450 +0.660 21
6 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES 1:40.560 +0.770 27
7 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI 1:40.652 +0.862 29
8 33 MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO RENAULT 1:41.220 +1.430 30
9 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI 1:41.261 +1.471 30
10 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT 1:41.799 +2.009 8
11 13 PASTOR MALDONADO VEN LOTUS MERCEDES 1:41.877 +2.087 15
12 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI 1:41.988 +2.198 20
13 11 SERGIO PÉREZ ALE FORCE INDIA MERCEDES 1:42.242 +2.452 24
14 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT 1:42.291 +2.501 31
15 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES 1:42.330 +2.540 28
16 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA 1:42.506 +2.716 25
17 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA 1:42.637 +2.847 24
18 8 ROMAIN GROSJEAN FRA LOTUS MERCEDES 1:42.948 +3.158 7
19 28 WILL STEVENS ING MANOR MARUSSIA FERRARI 1:45.704 +5.914 12
20 98 ROBERTO MERHI ESP MANOR MARUSSIA FERRARI 1:47.229 +7.439 6
    TEMPO 107% TL2   1:46.775 +6.985  
               
RECORDE FERNANDO ALONSO ESP RENAULT 1:32.582 19/3/2005  
MELHOR VOLTA JUAN PABLO MONTOYA COL WILLIAMS BMW 1:34.223 21/3/2004  

 

DONA SUTILEZA VEM JUNTO?

A Williams agora tem um piloto reserva, depois que viu a necessidade de contar com alguém na função. O alemão Adrian Sutil foi anunciado como o substituto imediato de Valtteri Bottas e Felipe Massa na equipe de Grove. Sutil está na F1 desde 2007, quando estreou pela equipe Spyker. Seguiu nela após a mudança de nome para Force India e defendeu a Sauber na temporada 2014, sendo dispensado para dar lugar a Felipe Nasr e Marcus Ericsson em 2015.

MADUROS, MAS COM
TESÃO DE JOVENS

Os dois já são veteranos. Um tem os primeiros fios grisalhos e outro passou dos 40. Mas os dois seguem firmes e fortes na Indy e usam a idade como um grande fator positivo. Helio Castroneves e Tony Kanaan prometem a mesma disposição dos tempos em que começaram na Indy para conquistarem o título da temporada 2015. E os dois estão nas duas melhores equipes possíveis: a Penske e a Ganassi, respectivamente.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube