F1

Hamilton vê Bottas “mais focado”, mas nega surpresa com evolução em 2019: “Ele sempre começa forte”

Lewis Hamilton não foi pego de surpresa pela velocidade de Valtteri Bottas no começo de 2019. O britânico já contava com a boa fase do rival, apesar de ainda ter dúvidas sobre até onde Valtteri vai chegar com o alto nível

Grande Prêmio, de Barcelona / VITOR FAZIO, de Berlim / ERIC CALDUCH, de Barcelona
Um piloto mais focado e mais ameaçador, mas que talvez não surpreenda tanto assim. Lewis Hamilton deixou de ser inconteste na Mercedes para lidar com Valtteri Bottas, que chega ao GP da Espanha na condição de líder do Mundial de Pilotos de Fórmula 1. Questionado sobre a reação, Hamilton avaliou que a velocidade do finlandês segue a mesma – o que mudou mesmo foi o lado psicológico.
 
“Dá para dizer que ele parece mais focado do que antes. Tem a questão dos engenheiros, que estão encorajando-o a fazer coisas que eu estava fazendo”, disse Hamilton, fazendo referência à mudança de engenheiro-chefe de Bottas no começo de 2019. “Ele certamente está indo na direção certa. Mesmo assim, ainda é o finlandês forte que já era antes. Ano passado ele ia vencer em Baku, mas teve aquele problema, além de outras situações azaradas. Ele venceria ao menos duas corridas, porque ele venceria na Rússia também”, seguiu, recordando a corrida com ordens de equipe da Mercedes.
 
“Estávamos em circuitos mais frios nessas primeiras corridas, e agora estou curioso para ver como ele [Bottas] vai estar em condições mais quentes. Vencer o campeonato não é uma questão de vencer algumas corridas, e sim de ser consistente. Tenho certeza de que ele vai ser competitivo o ano inteiro”, continuou.
Lewis Hamilton não está surpreso com Valtteri Bottas, mas segue de olho (Foto: AFP)
Para Hamilton, a citada troca de engenheiro-chefe de Bottas – Riccardo Musconi tomou a vaga de Tony Ross, de partida para a FE – também foi uma importante manobra. Aliada à força de Valtteri no primeiro semestre, já rendeu bons resultados.
 
“Não [surpreendeu]. Todos os anos ele começa forte. Ele sempre começa forte, e o objetivo agora é manter isso ao longo do ano. Esse ano ele está com o meu engenheiro número 2 do ano passado. Ele estava comigo há seis anos e agora é o engenheiro chefe dele [Bottas]. Ele [Bottas] conseguiu dar um passo adiante, que já era esperado. Eu estou com um novo engenheiro [nº 2], mas é claro que você precisa de algum tempo para construir essa relação. Qualquer peça que você perca, leva algum tempo até chegar ao nível de algo que você construiu por seis anos”, considerou.
 
A Mercedes lidar com dois pilotos em boa fase não significa que a atenção ainda não esteja em impedir a reação de equipes rivais. Hamilton ainda vê a Ferrari capaz de se aproveitar de pontos fracos do W10. 
 
“Sinceramente, a gente foca em todas as áreas. São pequenos detalhes, pequenas porcentagens que estão fazendo a diferença. Mesmo que a gente esteja conseguindo as vitórias, ainda há janelas nas quais os outros podem tirar vantagem. Vocês ainda não viram, mas ainda podemos errar e deixá-los capitalizarem em cima disso. Tem o lado do piloto e o lado do carro, e acho que estamos entendo o carro cada vez melhor”, encerrou.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.