Hamilton vê Mercedes competitiva no seco, mas reconhece: “Ainda não me sinto bem no carro”

Segundo colocado no primeiro dia de treinos em Montreal, Lewis Hamilton elogiou o desempenho do carro e disse que pode ser competitivo no seco. Britânico, entretanto, admitiu que ainda não se sente bem no carro

A cobertura completa do GP do Canadá no GRANDE PRÊMIO
As imagens da sexta-feira da F1 em Montreal
Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

Lewis Hamilton anotou 1min14s830 em sua melhor volta pelo circuito de Montreal nesta sexta-feira (7) e ficou com o segundo melhor tempo do dia, 0s012 atrás de Fernando Alonso, o mais rápido no Canadá. Ao contrário do que aconteceu no treino da manhã, o segundo exercício do dia foi realizado com pista seca e os pilotos puderam aproveitar para melhorar seus tempos de volta. 
Hamilton afirmou que W04 pode ter um bom desempenho em Montreal com pista seca (Foto: Getty Images)
“Se estiver seco, acho que somos realmente competitivos”, disse Hamilton. “O carro parece muito bom, me sinto bem neste fim de semana, então é bom”, comentou. 
 
O britânico, entretanto, reconheceu que ainda não se sente confortável dentro do carro. “Por alguma razão, ainda não me sinto bem no carro”, falou. “Não sei se é o meu banco, mas hoje o meu cinto estava preso muito, muito alto mesmo – o que eu nunca faço. Talvez eu esteja me movimentando muito no carro, mas está um pouco melhor hoje”.
 
Ao contrário de Nico Rosberg, que acredita que o desgaste dos pneus está alto em Montreal, Hamilton afirmou que a Mercedes não tem de se preocupar com isso. 
 
“Não sei como estão os pneus em termos de desgaste, mas eles pareciam bons”, avaliou. “Eles me disseram para forçar nas últimas voltas, o que eu consegui fazer, então tinha aderência”, explicou. “Não acho que estejamos com problemas no momento”, completou. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube