Hockenheim cobra decisão rápida da F1 sobre corrida em 2020: “Não podemos esperar”

A administração do autódromo de Hockenheim já se mostrou aberta a receber a Fórmula 1 em 2020, mas quer uma decisão praticamente imediata sobre a data que vai reservar para a categoria no calendário. A alegação é que a prioridade é garantir a saúde financeira do circuito e a indefinição atrapalha os planos de garantir algum dinheiro em tempos de crise e incerteza

Desde que a Fórmula 1 passou a considerar circuitos que não estavam na sua programação original para a temporada 2020 como forma de complementar o calendário após o cancelamento de etapas como Austrália, Mônaco, França e Holanda — os GPs do Azerbaijão, Singapura e Japão foram cancelados semanas depois —, Hockenheim despontou como potencial novo destino. O tradicional circuito alemão, palco da melhor corrida da temporada passada na categoria, não fazia parte do cronograma original por falta de acerto financeiro, mas desponta como favorito para receber uma das etapas do Mundial a partir de setembro. No entanto, a gestão de Hockenheim quer uma decisão rápida por parte da Fórmula 1.

Ocorre que a administração do autódromo alemão entende que a indefinição sobre uma data para a Fórmula 1 atrapalha os planos de garantir algum dinheiro em tempos de crise e incerteza por conta da pandemia do novo coronavírus. Por isso, Hockenheim não pode manter o calendário aberto por muito tempo à disposição do Mundial.

Incerteza paira sobre a possibilidade de Hockenheim receber a F1 em 2020 (Foto: Mercedes)

“Não podemos manter nosso calendário em espera por muitas semanas esperando por uma data para o GP”, salientou a gestão de Hockenheim, liderada pelos CEOs Jorn Teske e Jochen Nerpel, em entrevista à agência de notícias Sid. Os administradores ressaltaram que, no momento, uma eventual corrida da Fórmula 1 no circuito “gira somente em torno de especulações”.

O principal ponto é que Hockenheim, como outros circuitos citados recentemente por Ross Brawn, diretor-esportivo da Fórmula 1, como potenciais candidatos a receber uma etapa do Mundial depois de setembro, como Portimão, Mugello e Ímola, teria de abrigar um evento com portões fechados. Daí a preocupação dos administradores, que visam garantir a saúde financeira do autódromo.

Teske e Nerpel ressaltaram que ficariam “muito felizes em aceitar um pedido viável” da F1 para um GP da Alemanha em 2020, mas a prioridade era obter algum tipo de ganho financeiro “e, portanto, não podemos manter uma data não-confirmada pela Fórmula 1 por muitas semanas”.

Recentemente, Brawn falou que pretende fechar o calendário de 2020 com um número entre 15 e 18 etapas. No momento, estão confirmadas oito corridas entre julho e setembro, mas há a garantia de que pelo menos outras três sejam realizadas no fim do ano no Oriente Médio, sendo duas no Bahrein — uma delas no anel externo do circuito de Sakhir — e uma em Abu Dhabi, fechando a temporada.

A expectativa da Fórmula 1 é anunciar o cronograma definitivo antes da abertura do campeonato, marcada para 5 de julho com o GP da Áustria.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube