Honda elege abertura da temporada como pior momento de 2015 e reconhece: “Não estávamos preparados o suficiente”

Chefe da Honda, Yasuhisa Arai afirmou que o momento mais difícil da temporada foi o GP da Austrália, onde a montadora percebeu que não estava preparada o suficiente para voltar para a F1. Dirigente garantiu que os problemas do motor V6 turbo nipônico estarão resolvidos para a etapa de Melbourne do próximo ano

O retorno da Honda à F1 não saiu exatamente como esperado, mas as dificuldades de 2015 não foram suficientes para que a montadora nipônica se arrependesse de restabelecer a parceria com a McLaren. 
 
Chefe da Honda, Yasuhisa Arai garantiu que a montadora não se arrepende de ter voltado à F1, mas reconheceu que o momento mais difícil foi o GP da Austrália, quando a fábrica percebeu que não estava pronta para o desafio.
Yasuhisa Arai apontou a corrida de Melbourne como o momento mais difícil da temporada 2015 da F1 (Foto: Getty Images)
Ao longo de 2015, a Honda sofreu com inúmeros problemas, o que resultou em uma coleção de punições a Jenson Button e Fernando Alonso. No total, a McLaren somou 27 pontos, 16 deles conquistados pelo britânico.
 
 “Nós não estávamos preparados o bastante, não tínhamos feito os testes corretos e, ainda assim, a primeira corrida chegou”, disse Arai em entrevista à publicação germânica ‘Speedweek’. “Em meados da temporada, nós encontramos a fraqueza exata do motor, mas não podemos resolver isso durante a temporada. Sem chance”, seguiu.
 
Questionado se a Honda tinha começado a correr cedo demais, Arai respondeu: “Não, pois o problema ainda teria sido a experiência. A ação na pista é necessária. Então, de certa forma, usamos as corridas de 2015 como teste e aprendemos muito”.
 
Além disso, o dirigente fez uma avaliação positiva da evolução da McLaren ao longo do ano, citando, inclusive, que o time não recebeu nenhuma punição em Abu Dhabi.
 
“A notícia positiva é que a McLaren Honda não atraiu punições na 99ª corrida juntos”, destacou. “Esta deveria ser a norma. O resultado em Abi Dhabi foi difícil, com incidentes na primeira volta e no pit-lane, mas nós pudemos confirmar o nosso progresso por meio de boas lutas no meio do pelotão”, ponderou.
 
“Estamos ansiosos pelo desenvolvimento ao longo do inverno, onde vamos focar em confiabilidade e em melhorar a unidade de potência. Mas nós sabemos a fraqueza do nosso motor e isso estará resolvido para Melbourne”, garantiu. “A boa notícia é que os pilotos e o time confiam em nós. Nós queremos estar prontos para o 11º GP da McLaren Honda”, concluiu.

 

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Pior temporada em anos tem desfecho merecido e leva a pedido: F1, mude jáhttp://grandepremio.uol.com.br/f1/noticias/opiniao-gp-pior-temporada-em-anos-tem-desfecho-a-altura-e-leva-a-pedido-claro-f1-mude-ja

Posted by Grande Prêmio on Segunda, 30 de novembro de 2015

PADDOCK GP EDIÇÃO #8: ASSISTA JÁ

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube