Honda oficializa retorno à F1 como fornecedora de motores e reedita casamento histórico com McLaren

Durante conferência de imprensa nesta quinta-feira (16), no Japão, a Honda oficializou que será fornecedora de motores da McLaren a partir de 2015. Longe da F1 desde 2009, quando vendeu sua equipe para Ross Brawn, a montadora reeditará um casamento que rendeu oito títulos à escuderia britânica


A Honda está oficialmente de volta à F1. Longe da categoria desde o fim de 2008, a histórica montadora japonesa retorna ao grid para reeditar um dos casamentos mais vitoriosos do esporte. A partir de 2015, a Honda será a fornecedora de motores da McLaren. Durante o período em que a marca entregou seus propulsores para a escuderia britânica, entre 1988 e 1992, foram conquistados oito títulos, sendo quatro do Mundial de Pilotos e outros quatro nos Construtores. O novo regulamento, que compreende a adoção de motores turbo V6 de 1,6 L, que entrará em vigor em 2014, foi crucial para o retorno da fabricante, que oficializou nesta quinta-feira (16) seu retorno à F1.

Juntas, Honda e McLaren têm um retrospecto dos mais vencedores da história da F1. Entre 1988 e 1992, foram 80 GPs disputados e com um aproveitamento incrível: 44 vitórias, 91 pódios, 53 poles e oito títulos mundiais. Ayrton Senna foi o grande vencedor durante este período, conquistando nada menos do que 30 das suas 41 vitórias na F1 durante a parceria entre McLaren e Honda. Não à toa, o brasileiro há tempos é uma das principais referências do automobilismo para o público japonês.
McLaren-Honda ou McLaren-Mercedes? Qual a melhor parceria? 

Depois de 23 anos, a McLaren voltará a ser equipada com motores Honda na F1 (Foto: McLaren)

Por meio de conferência transmitida ao vivo, Takanobu Ito, presidente mundial da Honda, comemorou a volta de uma das uniões mais bem-sucedidas da F1 e disse que a nova regra dos motores foi crucial para que a montadora voltasse a fazer parte da principal categoria do automobilismo mundial.

“A F1 está prestes a introduzir novos regulamentos, que exigem um motor mais reduzido com um turbocompressor e sistemas de reaproveitamento de energia, o que se encaixa melhor com as tecnologias ambientais para os veículos de produção em massa. Como resultado, mais do que nunca, podemos esperar mais feedback dos carros de corrida nos veículos de produção em série e algum feedback dos carros produzidos em série para os carros de corrida”, comentou.
"Emocionado", Button lembra ligação vitoriosa com Honda na F1 

O presidente da Honda também exaltou o retorno da parceria com a McLaren e destacou o legado vencedor que a fábrica japonesa tem com a escuderia britânica. Depois do furacão que foi a crise mundial de 2008, que fez com que a Honda deixasse o grid da F1, a marca, quinta maior vencedora da história da categoria como fornecedora de motores — ao todo, foram 72 triunfos —, está de volta ao grid e ao lado do seu parceiro mais vencedor.

“Desde sua criação, a Honda tem sido uma empresa que cresce, assumindo desafios em corridas. A Honda tem uma longa história de fazer avançar nossas tecnologias e nutrir nosso povo por meio da participação na mais prestigiada categoria do mundo das corridas. Os novos regulamentos da F1, com foco ambiental significativo, vão inspirar ainda mais o desenvolvimento de nossas próprias tecnologias avançadas, e isso é fundamental para nossa participação na F1”, afirmou Ito.

“Temos o maior respeito pela decisão da FIA de introduzir esses novos regulamentos, que são altamente desafiadores, mas também atraentes para os fabricantes que buscam tecnologias ambientais, e para a Formula One Group, que desenvolveu a F1 por um alto custo e é uma categoria top apoiada por fãs entusiasmados. Nós gostaríamos de expressar a nossa sincera gratidão ao Sr. Jean Todt, presidente da FIA, e ao Sr. Bernie Ecclestone, CEO da Formula One Group, que mostraram grande compreensão e cooperação para ajudar a concretizar nossa participação na F1”, continuou o executivo.
Takanobu Ito disse que o novo regulamento foi crucial para o retorno da Honda à F1 (Foto: Getty Images)

“O slogan corporativo da Honda é ‘The Power of Dreams’ (O Poder dos Sonhos, em português). Este slogan representa o nosso forte desejo de perseguir e realizar nossos sonhos juntos com os nossos clientes e fãs. Ao lado da McLaren, um dos construtores mais ilustres da F1, a Honda vai marcar um novo começo em nossos desafios na F1”, acrescentou o presidente mundial da Honda.

McLaren comemora a sequência do legado com a Honda

Chefe de equipe da McLaren, Martin Whitmarsh deu as boas-vindas à nova fornecedora de motores da equipe, selando assim o fim de outra união extremamente duradoura. Até 2014, a escuderia de Woking seguirá como cliente da Mercedes, numa parceria que já dura desde 1995.

“É uma notícia fantástica para todos que amam a F1 poder receber a Honda de volta à F1. Juntos, estamos prestes a embarcar em um novo e extremamente empolgante capítulo na história da McLaren”, vibrou o dirigente britânico. “Como a McLaren, a Honda é uma empresa que tem o automobilismo entranhado em sua herança. Estamos muito orgulhosos e entusiasmados em unir forças para, mais uma vez, enfrentar o mundo da F1."

"Embora ambas as empresas estejam plenamente conscientes de que estamos embarcando em uma jornada muito exigente em conjunto, estamos extremamente comprometidos com o sucesso da parceria, e vamos passar os próximos 18 meses trabalhando lado a lado para garantir que estamos plenamente estabelecidos e competitivos para o nosso primeiro GP juntos em 2015”, disse Whitmarsh.


“Os nomes de McLaren e Honda são sinônimos de sucesso na F1, e para todos os que trabalham para ambas as empresas, o peso das nossas realizações passadas está fortemente sobre os nossos ombros. É uma marca da ambição e determinação que nós compartilhamos que queremos mais uma vez para elevar a McLaren-Honda para o topo da F1. Juntos, nós temos um grande legado e estamos totalmente empenhados em mantê-lo”, acrescentou o britânico.
Whitmarsh garantiu que seguirá trabalhando com "afinco e profissionalismo" com a Mercedes até 2014 (Foto: McLaren)

O chefe da McLaren lembrou também as conquistas históricas da equipe nos tempos da primeira parceria da Honda. “Juntos, durante os anos 80 e 90, McLaren e a Honda venceram 44 GPs e oito títulos mundiais. Juntos, em 1988, criamos o carro mais bem-sucedido da F1 em todos os tempos, o McLaren-Honda MP4/4, que venceu 15 das 16 corridas com Ayrton Senna e Alain Prost. A Honda tem um pedigree incomparável como fabricante de motores turbo, tornando-se o parceiro de motor perfeito para a McLaren. Olhando para o futuro, McLaren e Honda estão totalmente empenhados em manter este legado e ser bem-sucedidos mais uma vez”.

Whitmarsh destacou também a parceria com a Mercedes e garantiu que o trabalho com a fornecedora alemã continuará “com afinco e profissionalismo” para seguir vencendo. “É justo reconhecer que, até o fim de 2014, vamos manter um compromisso total com o nosso parceiro atual e de longa data, a Mercedes-Benz, para a qual mantemos o maior respeito e com quem temos a intenção de seguir trabalhando com afinco e profissionalismo”, garantiu.

“A McLaren-Mercedes, até agora, ganhou incríveis 78 GPs e quatro campeonatos mundiais. Nosso objetivo é encerrar essa nossa parceria de longa data com a mesma ambição e determinação com a qual começamos, ou seja, continuar vencendo”, concluiu o empolgado comandante da McLaren.

Quer acompanhar de perto o GP da Itália em Monza? Consulte o pacote especial da AMK Viagens.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube