Hülkenberg nega pressão em batalha por título da ‘F1 B’ contra Haas: “Sabia que eram uma ameaça”

A Renault tem se mantido na quarta colocação do Mundial de Construtores desde o começo da temporada, mas a Haas ameaça tirar o posto nas etapas finais. Para Nico Hülkenberg, porém, isso não é surpresa

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

Sétimo colocado no Mundial de Pilotos, Nico Hülkenberg sabe que esse é o máximo possível dentro da 'F1 B' – e isso também vale para as equipes. A Renault ocupa o quarto lugar no momento, atrás apenas do trio "imbatível" formado por Mercedes, Ferrari e Red Bull. Mas a vantagem não é tão grande assim.

A equipe francesa tem 106 pontos, contra 84 da Haas – que, de acordo com Romain Grosjean, em entrevista exclusiva cedida ao GRANDE PRÊMIO, "ainda não desistiu de virar esse jogo".

Já para Kevin Magnussen, também em conversa com o GP, a Renault teria a obrigação de ficar à frente da equipe americana: "É uma equipe maior, eles têm mais pessoal, são uma equipe de fábrica, muito grande. Há muita pressão lá. É uma bagunça, às vezes. Já a Haas é bem pequena, é uma estrutura mais clara. É um ambiente melhor."

Kevin Magnussen (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Com essas declarações, o GP questionou Hülkenberg se ele concordava que a Renault deveria vencer essa batalha. Mas ele pensa diferente do francês e do dinamarquês.

"Não penso assim, não posso falar por todos na Renault mas não penso assim", afirmou.

"Acho que a Haas mostrou durante o ano, e até mesmo na pré-temporada, que eles têm um carro rápido. Eu sabia que eles seriam uma ameaça desde o começo. Então não me sinto assim", completou.

Nico Hülkenberg (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Hülkenberg é o maior pontuador dentro do quarteto que se faz presente nesta briga: tem 61 pontos. Seu companheiro carlos Sainz adiciona 45 à conta da Renault. Já pela Haas, Magnussen aparece em melhor posição, com 53 pontos; Grosjean tem 31. 

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do Brasil de F1 com os repórteres Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Gabriel Curty, Juliana Tesser, Nathalia De Vivo e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe tudo aqui.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube