Infográfico: GRANDE PRÊMIO mostra ‘Quero Ser Grande’ com evolução da Toro Rosso de 2008 a 2014

Sonhando em ser grande e repetir o sucesso de 2008 com suas próprias pernas, equipe de Faenza preza por aerodinâmica suave e layout agressivo, e espera fazer de 2014 um novo ano de estrelato com os jovens Jean-Éric Vergne e Danill Kvyat


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Filial da poderosa Red Bull, a Toro Rosso ingressou na F1 em 2006, sobre o espólio da finada e carismática Minardi. Com o carisma herdado da antecessora, o time sempre chamou a atenção pelos carros com pinturas arrojadas e por ser um celeiro de novos talentos, que ganham chance de mostrar potencial para, eventualmente, subirem à matriz.

Embora a princípio o time tenha usado carros da equipe-mãe apenas com motores diferentes – Cosworth, depois Ferrari –, a partir de 2009 o time liderado por Franz Tost passou a construir seus próprios carros e sempre se destacou pela beleza aerodinâmica e pela pintura mais 'rock and roll' do grid, com o agressivo touro vermelho avançando em direção ao cockpit sob o fundo azul-escuro da marca austríaca.

A bem da verdade, contudo, o mais belo modelo já utilizado pela turma de Faenza é o STR3, de 2008. Quase sem patrocínios e com a aerodinâmica da Red Bull, o carro conseguiu quebrar a hierarquia da empresa e subiu ao alto do pódio antes da matriz, graças ao talento de Sebastian Vettel, que fez pole e venceu o GP da Itália daquele ano. Os demais modelos não tiveram sucesso, tampouco revelaram grandes nomes para a F1.

A exceção óbvia é Daniel Ricciardo, único depois de Vettel a ascender à equipe principal depois de dois anos na filial. Rápido e com mais experiência, porém, o jovem australiano não arrancou suspiros com nenhum de seus desempenhos até aqui. 

Com o novo STR9 'Bico de Gonzo' e uma pintura com um azul mais escuro e menos detalhes em dourado, a Toro Rosso dá mais uma chance a Jean-Éric Vergne e traz a jovem promessa russa, Daniil Kvyat, como aposta de sucesso para o futuro do time na categoria. A troca dos motores Ferrari pelos Renault também alimentam o sonho de um ano melhor.

Sonhando em ser grande como a Red Bull e trilhar sua própria história de sucesso como na época dourada de Vettel, eis a evolução da equipe, de 2008 a 2014:

'Quero Ser Grande' mostra a evolução da Toro Rosso de 2008 a 2014 (Arte: Rodrigo Berton)


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube