F1

Irritado, Horner perde paciência com confiabilidade e performance do motor Renault: “É inaceitável”

Parece que a paciência da Red Bull com os problemas do motor Renault duraram até o GP da Áustria nesse domingo (22). Os problemas elétricos que acabaram por causar o fim de corrida de Sebastian Vettel somado ao pobre desempenho do motor de Daniel Ricciardo irritaram Christian Horner
Warm Up, de Spielberg / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro / EVELYN GUIMARÃES, de Spielberg
A cobertura completa do GP da Áustria no GRANDE PRÊMIO
icone_TV Automobilismo na TV: a programação do fim de semana
As imagens deste sábado de F1 na Áustria

Ao que parece, acabou a paciência da Red Bull com as falhas de confiabilidade e desempenho de seu motor, construído pela Renault. Após o abandono de Sebastian Vettel devido a problemas elétricos na unidade de força e uma oitava colocação insossa de Daniel Ricciardo no GP da Áustria, nesse domingo (22), Christian Horner não procurou ser político.
 
O chefe da equipe austríaca chamou de "inaceitável" a situação do motor da construtora francesa, que segue com problemas de confiabilidade e não mostra uma grande explosão de crescimento no desempenho, apesar do carro rubro-taurino ter evoluído bastante.
 
"É frustrante estar na situação em que estamos. Obviamente tivemos muito sucesso com a Renault. Todas as corridas e todos os campeonatos que vencemos foram com o motor Renault a nosso lado. Mas a situação não está evoluindo no momento", disse Horner logo após a corrida.
Christian Horner não está feliz com seu motor (Foto: Getty Images)
"A confiabilidade é inaceitável. A performance é inaceitável. Precisa ter mudança na Renault. Não pode continuar assim. Não é bom para a Renault e não é bom para a Red Bull", exclamou.
 
"Precisamos trabalhar juntos, como parceiros. Não vai haver outro motor em nosso carro no próximo ano, mas queremos ser competitivos e queremos disputar na frente", seguiu o chefe.
 
O diretor da Renault, Rob White, defendeu a fornecedora dizendo que entende a frustração de Horner, mas o plano para a recuperação já foi discutido e acertado.
 
"A ansiedade sentida por Christian e a frustração após um resultado como esse, onde desempenho e a unidade de força não corresponderam como podem, é compreensível e compartilhada por nós. Mas estamos comprometidos a evoluir o mais rápido que podemos - e acho que mostramos sinais de progresso antes. Continuamos certos de onde as expectativas de Christian e da Red Bull estão", falou.
 
"Sabemos o que é esperado de nosso trabalho, e individual e coletivamente devemos colocar o grupo na direção certa. O processo é completamente de acordo com a Red Bull. Os objetivos são conhecidos e acordados", encerrou.
 
A próxima etapa da F1 é em duas semanas, em 6 de julho, no GP da Inglaterra. 

GRANDE PRÊMIO cobre 'in loco' o GP da Áustria, oitava etapa do Mundial de F1, com a repórter Evelyn Guimarães. Para acompanhar todo o noticiário, clique aqui.

Saiu o pacote de viagem do GRANDE PRÊMIO para a corrida decisiva da temporada.
Clique e consulte as vantagens