Räikkönen recusa se juntar a jovens pilotos nos simuladores: “Tenho mais o que fazer”

Pai de duas crianças, Kimi Räikkönen não deve se juntar aos jovens pilotos da Fórmula 1 e competir de forma virtual. O finlandês de 41 anos afirmou que não tem tempo para se aventurar nos games

A Fórmula 1 não realizou corridas no primeiro semestre de 2020 por conta da pandemia do coronavírus. Apesar disso, jovens pilotos como George Russell, Lando Norris e Charles Leclerc se mantiveram na competição, utilizando dos simuladores virtuais, que renderam bastante sucesso.

Pilotos mais veteranos, como Tony Kanaan e Rubens Barrichello também se divertem nos simuladores, que não são a praia do campeão mundial de 2007, Kimi Räikkönen. Em entrevista ao site alemão Motorsport-Magazin, o finlandês descartou interesse nas competições virtuais.

“Sinceramente, eu nem tenho tempo. Sempre estamos fazendo as coisas normais com as crianças e a família. Se você quiser fazer, precisa de tempo” , comentou o piloto de 41 anos, pai de duas crianças.

Räikkönen encerrou a temporada com apenas 4 pontos. (Foto: Alfa Romeo)

Recordista de corridas na Fórmula 1, Räikkönen se prepara para mais uma temporada em 2021. O finlandês, que renovou com a Alfa Romeo e estará ao lado do italiano Antonio Giovinazzi pelo terceiro ano consecutivo, também relembrou os tempos em que se aventurava nos games.

“Eu tenho mais o que fazer do que sentar na frente de um simulador e jogar. Quando eu era mais novo e não tinha o que fazer, eu jogava. Tínhamos um PlayStation, mas não uso há 10 anos. Robin [filho mais velho] queria um porque o meu sobrinho tem. Ele provavelmente vai começar a usar, mas tenho outras coisas para fazer do que jogar”, completou.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar