Kubica diz que permanecer na F1 é “tarefa mais difícil” do retorno: “Muitos bons pilotos saíram após um ano”

Robert Kubica sabe que vai enfrentar alguns desafios em seu retorno à F1. Pensando em se sair bem em sua temporada de estreia, afirmou que principal objetivo e conseguir permanecer mais de um ano na categoria

Robert Kubica está cada vez mais próximo de seu retorno à Fórmula 1. De olho em sua volta, o piloto reconheceu que o seu principal objetivo é conseguir seguir na categoria por mais de uma temporada, apesar de não ser uma tarefa fácil.
 
A última vez que o piloto alinhou no grid foi na última etapa do campeonato de 2010. Desde então, oito anos se passaram até que fosse promovido a titular em 2019, agora pela Williams. O piloto vai substituir Sergey Sirotkin.
 
Apesar de animado para sua estreia com as cores de Grove, mostrou estar ciente dos desafios que o esperam. “O esporte mudou muito desde 2010, uma tarefa muito difícil me espera. O hiato de oito anos certamente não me ajuda, mas eu tenho experiência e sei que estava acostumado a pilotar em alto nível”, falou.
 
“Eu tracei metas realistas para mim e tenho certeza que vou ser capaz de alcança-las. Caso não me sentisse preparado o suficiente, não trabalharia no meu retorno à F1. Meu objetivo não é apenas voltar para a F1, mas ficar lá. Essa é a tarefa mais difícil. Muitos ótimos pilotos deixaram a F1 após apenas uma temporada”, continuou.
Robert Kubica (Foto: AFP)

Para 2019, a Williams vai contar com uma dupla de pilotos totalmente renovada. Além do polonês, também tem a chegada de George Russell, campeão de 2018 da F2. Agora, espera reverter a situação de 2018, quando terminou o Mundial de Construtores na última colocação.
 

Mas a situação difícil da equipe não abalou Kubica, que apesar de reconhecer a dificuldade, pretende não deixar a peteca cair. “A situação da Williams não é fácil. Você precisa abordar isso de maneira realista. Espero que a equipe tenha desenhado conclusões e que o carro deste ano seja muito melhor”, pontuou.
 
“É importante ter um bom começo com um bom carro, pois é muito difícil de alcançar durante a temporada. Farei meu melhor para dar o melhor feedback possível. Espero que a equipe volte para onde pertence. Quero fazer meu trabalho da melhor maneira possível. Quero mostrar que após oito anos longe do esporte posso ser rápido”, seguiu.
 
“Mas você precisa de um carro rápido, torna mais fácil. Há sempre algumas corridas imprevisíveis devido a condições e etc… e nesses casos você pode mostrar algo a mais. Mas você precisa de um carro que é bom de pilotar. Meu objetivo é fazer um bom trabalho e ficar algum tempo na F1. E meu sonho é ser feliz com meu trabalho”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube