F1

Kvyat volta ao pódio em corrida “montanha russa, como minha carreira”

Daniil Kvyat vive um fim de semana de sonho na carreira. Na noite passada, Kelly Piquet, namorada do piloto russo e filha do tricampeão mundial de F1, deu a luz ao primeiro filho do casal. Horas depois, Kvyat voltou a escalar o pódio desde o GP da China de 2016 em um insano GP da Alemanha. Uma prova que o fez lembrar tudo o que enfrentou na vida desde então

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
Uma corrida com muitos significados para Daniil Kvyat. O insano GP da Alemanha deste domingo (28) em Hockenheim aconteceu horas depois de Kelly Piquet, namorada do piloto russo e filha do tricampeão mundial, Nelson Piquet, dar a luz ao primeiro filho do casal. Nesta tarde, Kvyat largou em 14º lugar com a perspectiva de, com alguma sorte, marcar alguns pontos. Mas o terceiro lugar veio de forma inacreditável, como uma montanha russa, como foi sua carreira como um todo na F1.
 
Ao longo de uma corrida simplesmente maluca, Kvyat conseguiu se livrar das armadilhas da pista molhada e úmida durante boa parte da prova e foi evoluindo. Nas voltas finais, quando a pista secou, a Toro Rosso deu o pulo do gato ao chamá-lo para colocar pneus slicks para ir até o fim da corrida. 
Daniil Kvyat voltou ao pódio depois de mais de três anos (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Kvyat chegou a andar em segundo, ficando só atrás de Max Verstappen, que venceu a corrida. Quase deu dobradinha da Honda. Mas Sebastian Vettel, com ritmo irresistível nas voltas finais, fez a ultrapassagem sobre o russo depois de ter largado em último lugar. Mesmo assim, a terceira colocação representou um enorme resultado para um piloto que estava desacreditado, foi rebaixado e até demitido da Toro Rosso, mas voltou neste ano e deu a volta por cima.
 
“É incrível voltar ao pódio. E trazer a equipe de volta depois de tantos anos é especial”, declarou o piloto, que não subia ao pódio desde o GP da China de 2016, quando defendia a Red Bull. Uma corrida depois daquela prova em Xangai, na russa Sóchi, Kvyat cometeu um erro ao acertar os carros de Daniel Ricciardo, então seu companheiro de equipe, e Vettel. 
 
A Red Bull tomou a radical decisão de rebaixar Kvyat para a Toro Rosso e promover Verstappen a titular da equipe no GP seguinte, o da Espanha, que Max venceu. Desde então, Daniil caiu em desgraça, chegou a ser demitido antes mesmo do fim de 2017, virou piloto de simulador da Ferrari no ano seguinte, mas voltou a uma Toro Rosso, sem opções para contar com outros pilotos, e regressou ao grid da F1 em 2019.
 
Desta forma, o retorno ao pódio depois de mais de três anos vem na esteira de uma corrida louca e movimentada, como foi sua carreira na F1 desde então. “A corrida foi uma loucura e finalmente consegui encaixar tudo para chegar a este pódio. Estou muito feliz. A corrida foi como um filme de terror misturado com humor negro”, descreveu, na esteira do primeiro pódio da Toro Rosso desde o GP da Itália de 2008, conquistado com a vitória de Sebastian Vettel em Monza.
 
“Pensei que a corrida já era, mas foi incrível. Foi uma montanha russa, um pouco como foi toda a minha carreira”, complementou o feliz Daniil Kvyat.

Paddockast #26
Acidentes que alteraram carreiras


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.