Lauda vê mais respeito e entende que relacionamento entre Hamilton e Rosberg será muito melhor em 2015

Presidente não-executivo da Mercedes, Niki Lauda afirmou que o relacionamento entre Nico Rosberg e Lewis Hamilton será muito melhor em 2015, especialmente por ambos deixaram as crises e as polêmicas para trás

A relação entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg será muito melhor em 2015. A frase é de Niki Lauda, presidente não-executivo da Mercedes. Para o tricampeão, os dois pilotos, que disputaram o título deste ano até a última etapa, agora possuem mais respeito um pelo outro. A decisão veio na prova de Abu Dhabi, quando o inglês venceu e ficou com a taça, a segunda da carreira.

O austríaco entende que a superação das crises vividas dentro da equipe alemã pela dupla serviu apenas para fortalecer os laços entre os dois. Lauda citou como crises o incidente no treino classificatório em Mônaco e o toque entre ambos no GP da Bélgica.

"Quando você supera todos esses problemas, um que ganhou o campeonato e outro que não, a coisa fica mais fácil, porque agora eles se respeitam mais, especialmente com relação ao nível de desempenho", explicou Lauda.

Lauda vê relação entre Hamilton e Rosberg melhor em 2015 (Foto: Getty Images)

No fim do ano passado, a revista inglesa 'Autosport' revelou que a cúpula da Mercedes impôs uma proibição de comunicação entre os dois pilotos e a equipe técnica logo depois da batida entre ambos na etapa belga. Embora a esquadra tenha aplicado uma punição não divulgada para Rosberg, o ex-piloto disse que o fator mais importante na reparação das relações foi a forma como os dois companheiros de time reagiram depois disso, culminando com Nico parabenizando Lewis pelo título.

"Spa foi o calor do momento", afirmou Niki. "Agora, nós temos tudo sob controle novamente, todos juntos. Nós não dissemos nada, eles perceberam o que tinham de fazer. A partir de então tudo funcionou e o resultado foi inacreditável. Eles lutaram entre si, mas depois se abraçaram e um felicitou o outro", acrescentou.

Lauda ainda negou que, com o título, Hamilton agora esteja em uma posição de vantagem dentro da equipe. O tricampeão acredita que ainda há mais por vir de Rosberg, principalmente diante da experiência adquirida em 2014 com a disputa intensa pelo campeonato.

"Nico vai voltar e vai lutar novamente. Ele tem potencial para isso. E é exatamente o que precisamos. Ainda há mais para tirar em termos de desempenho e qualidade técnica. Vai ser divertido vê-los novamente. E espero que ninguém interfira", continuou.

Por fim, o austríaco afirmou que a tensão entre companheiros de equipe é algo normal na F1. "Eu nunca gostei de Alain Prost ou Clay Regazzoni, eu nunca gostei de John Watson. E isso é algo normal. Mas há certo respeito uns pelos outros", encerrou Lauda, lembrando os antigos colegas de time.

FORTES DEMAIS
Apesar da má fase, a Ferrari pode, sim, reagir e passar a representar uma ameaça em breve. É o pensamento de Toto Wolff, diretor-executivo da Mercedes, que alertou para a força da parceria formada com o recém-contratado Sebastian Vettel. A Ferrari, por toda a estrutura e tradição que tem, com Vettel, um tetracampeão, vão dar juntos início a um novo ciclo, e é de se esperar, na visão de Wolff, que o time consiga um resultado melhor do que o da temporada 2014.

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.

HÜLK: CARROS FICARAM MAIS DIFÍCEIS EM 2014
A temporada de Nico Hülkenberg foi até acima do esperado. O piloto da Force India pontuou nas dez primeiras provas do ano e foi o principal chamariz da equipe em sua melhor temporada desde que foi criada. Mas as coisas não foram tão tranquilas com o novo V6 turbo. Segundo Hülkenberg, guiar o carro que a F1 passou a usar em 2014 é mais difícil que os impulsionados pelos V8 aspirados que eram utilizados até 2013. Para o alemão tem sido mais complicado guiar em 2014 especialmente por causa da diminuição de downforce.

Leia a reportagem completa no GRANDE PRÊMIO.

MELHORES DO ANO
 
E assim, como num passe de mágica, 2014 passou. Foi rápido mesmo. Se Vettel decepcionou, a Mercedes dominou e o medo de acidentes fatais voltou à F1; se a Ganassi não correspondeu e Will Power fez chegar o dia que parecia inalcançável; se Márquez deu mais um passou para construir uma dinastia; se Rubens Barrichello viveu sua redenção, tudo isso é sinal das marcas de 2014 no automobilismo. Para encerrar e reforçar o que aconteceu no ano, a REVISTA WARM UP volta a eleger os melhores do ano.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar