Hamilton, Alonso e ao menos 3 outros pilotos tentaram boicotar GP da Arábia Saudita

Os dois campeões da Fórmula 1 mais George Russell, Pierre Gasly e Lance Stroll não queriam seguir em frente com a segunda etapa do campeonato em Jedá e precisaram ser convencidos para dar sequência ao fim de semana na Arábia Saudita

FÓRMULA 1 2022 AO VIVO: OS TREINOS LIVRES DO GP DA ARÁBIA SAUDITA DE F1 | Briefing

A longa reunião de quatro horas que invadiu a madrugada de sábado (26) em Jedá foi tensa e precisou de muito convencimento para que todos os pilotos dessem sequência ao GP da Arábia Saudita, segunda etapa da temporada 2022 da Fórmula 1, após a cercania do circuito ser atingida por um míssil. Cinco deles, pelo menos, manifestaram o desejo de não correr, dentre eles Lewis Hamilton e Fernando Alonso.

Segundo o jornal italiano La Gazzetta dello Sport, os dois campeões da Fórmula 1 foram acompanhados por George Russell – único representante da GPDA, a Associação dos Pilotos –, Pierre Gasly e Lance Stroll estavam convencidos de que não deveria haver mais atividades ao longo do fim de semana.

O encontro entre os 20 pilotos e a cúpula da F1 e da FIA teve início às 22h locais e contou com a presença de uma delegação saudita, que tinha a função de apaziguar os ânimos e garantir que o tal ataque a míssil, reivindicado pela milícia iemenita Houthi, era mais um da guerra que dura há mais de sete anos e que só ataca locais específicos de infraestrutura da Arábia Saudita.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
F1 se faz de sonsa ao correr na Arábia Saudita e adiciona capítulo de desprezo à história

Fernando Alonso tentou boicotar GP da Arábia Saudita (Foto: Alpine)

O vaivém dos dirigentes foi constante na reunião. Stefano Domenicali, CEO da Fórmula 1, foi o mais vocal ao se garantir “seguro”. O presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem, seguiu na mesma linha. Ross Brawn, o chefão da categoria, também apareceu no encontro. Os dez chefes de equipe foram chamados quando o relógio passava de 1h30 local. Ainda levou mais uma hora para que os cinco de fato concordassem em correr, assinando um documento para tal.

Sebastian Vettel, outro representante da GPDA, está ausente do fim de semana por consequências da Covid-19. O alemão também ficou de fora da etapa de abertura da temporada no Bahrein e foi substituído pelo compatriota Nico Hülkenberg na Aston Martin.

A BBC sugeriu que a Fórmula 1 também decidiu permanecer na Arábia e levar o fim de semana na normalidade porque não saberia como e quando pilotos e os demais membros da categoria poderiam deixar o país caso não houvesse corrida.

HAAS SURPREENDE E MOSTRA QUE NÃO TEM NADA A PERDER NA FÓRMULA 1 2022
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar