Hamilton lista motivos para seguir na F1 em 2022: questões sociais e luta com Verstappen

Após participar dos testes dos pneus da Pirelli para 2022, Hamilton sinalizou interesse em continuar na F1. O britânico não garantiu nada, mas listou motivos para seguir no grid

Volta rápida na pista de Miami, que recebe a F1 em 2022 (Vídeo: Miami)

Com contrato se encerrando ao fim de 2021, Lewis Hamilton não tem presença confirmada para o grid do próximo ano. Porém, após o GP da Emília-Romanha o heptacampeão mundial testou os novos pneus da Pirelli, de 18 polegadas. O sinal é claro: apesar de não cravar a permanência em 2022, o britânico aponta que está satisfeito na categoria a ponto de já projetar a renovação de contrato com antecedência.

“Primeiramente, eu nunca tinha me voluntariado para os dias de testes”, disse Hamilton. “Provavelmente esse foi o primeiro que eu me voluntariei para testar. Imediatamente eu me arrependi quando acordei pela manhã eu estava tipo ‘que merda’. Mas a pista era muito boa para fazer o teste, então aproveitei o dia e o bom clima. Eu planejo estar aqui no próximo ano e quero fazer parte disso, quero ajudar a Pirelli”, disse.

“Creio eu que isso é uma coisa que todos os pilotos desejam, pneus com uma melhor performance. Então foi muito importante para mim ver, para avaliar onde está o ponto de partida e em que posso ajudar. Para que, em primeiro lugar, do ponto de vista do piloto, tenhamos mais aderência. Mais aderência mecânica em nossos pneus, menos degradação. Foi um grande teste e obviamente foi o primeiro contato com estes pneus. Mas definitivamente não foi um lugar ruim para começar”, seguiu.

LEWIS HAMILTON; LUTA CONTRA O RACISMO;
Hamilton foi um dos grandes nomes da sociedade global em 2020 (Foto: Mercedes/LAT Images)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

O heptacampeão mundial ainda citou seu comprometimento com a luta antirracista como fator preponderante para continuar na categoria, sendo voz ativa do movimento. E celebrou a disputa com Max Verstappen, que se desenha para a temporada atual.

“Eu sou extremamente espontâneo, então isso pode mudar sempre. Mas estou gostando dessa disputa que temos. É mais animador e muito mais desafiador. Como disse, eu continuo amando trabalhar com essa equipe e é animador ver os passos que a equipe está dando para torná-la mais inclusiva e diversificada. Creio que hoje eles anunciaram uma iniciativa que temos com nossa organização”.

“Como esporte, temos muito trabalho a fazer. Ainda tem muitas equipes que ficam em silêncio. Há muitas pessoas até agora que não estão sendo particularmente responsabilizadas e ainda há muito trabalho a fazer neste esporte. Sei que estando aqui eu tenho mais chances de mudar essa situação do que se estiver longe. Então é algo que eu penso fazer. Não sei por quanto tempo conseguirei ficar, mas veremos”, concluiu.

A próxima etapa da F1 acontece em 2 de maio. A categoria vai para Portimão, casa do GP de Portugal.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube