Hamilton responde fala racista de Nelson Piquet: “Mentalidades arcaicas têm de mudar”

Após vídeo em que Nelson Piquet usa um termo racista para se referir ao heptacampeão mundial viralizar nas redes sociais e repercutir na imprensa internacional - o que gerou manifestações públicas da F1, FIA e Mercedes -, o próprio Hamilton utilizou o Twitter para responder ao episódio

FÓRMULA 1 2022: O QUE ESPERAR DO GP DA INGLATERRA? | Paddock GP #293

Após a viralização de entrevista em que Nelson Piquet usa uma palavra de cunho racista para se referir a Lewis Hamiltonque gerou manifestações públicas da Fórmula 1, FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e Mercedes -, o próprio heptacampeão mundial recorreu às redes sociais nesta terça-feira (28) para responder à repercussão.

Primeiramente, Hamilton postou em seu Twitter uma mensagem em português. “Vamos focar em mudar a mentalidade”, escreveu o heptacampeão mundial. Pouco depois, o piloto da Mercedes voltou a tweetar em inglês e clamou por contundentes ações antirracistas.

“É mais do que linguagem. Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar no nosso esporte. Eu fui cercado por essas atitudes e fui um alvo por minha vida toda. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação”, enfatizou Hamilton.

Nelson Piquet usou termo racista para se referir ao heptacampeão mundial Lewis Hamilton (Foto: Reprodução)

O comentário com uso de termo racista por parte de Nelson Piquet ocorreu no ano passado, quando o tricampeão comentava a batida entre o piloto da Mercedes e Max Verstappen no GP da Inglaterra de Fórmula 1.

No vídeo, que ganhou repercussão na imprensa internacional, o jornalista Ricardo Oliveira questionou Piquet sobre uma manobra parecida de Ayrton Senna no passado, e o tricampeão discordou. “O ‘neguinho’ meteu o carro e não deixou [Verstappen passar]. […] O ‘neguinho’ deixou o carro, porque não tinha como passar dois carros naquela curva. […] O ‘neguinho’ fez de sacanagem”, disse Piquet na entrevista concedida em 3 de novembro de 2021.

O fato gerou manifestações públicas de repúdio da Fórmula 1, que não citou o nome de Piquet em comunicado oficial divulgado nas primeiras horas desta terça-feira. “Linguagem discriminatória ou racista é inaceitável de qualquer forma e não faz parte da sociedade. Lewis é um embaixador incrível do nosso esporte e merece respeito. Seus esforços incansáveis ​​para aumentar a diversidade e a inclusão são uma lição para muitos e algo com o qual estamos comprometidos na F1”, ressalta a nota da F1.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Mercedes também se manifestou oficialmente sobre a linguagem usada por Piquet. “Condenamos nos termos mais fortes qualquer uso de linguagem racista ou discriminatória de qualquer tipo. Lewis liderou os esforços do nosso esporte para combater o racismo e ele é um verdadeiro campeão da diversidade dentro e fora das pistas. Juntos, compartilhamos a visão de um automobilismo diversificado e inclusivo, e este incidente destaca a importância fundamental de continuarmos lutando por um futuro melhor”, disse a equipe.

FIA também repudiou o acontecimento, dizendo por meio de nota oficial em sua conta no Twitter que “condena veementemente qualquer linguagem e comportamento racista ou discriminatório, que não tem lugar no esporte ou na sociedade em geral.”

“Expressamos nossa solidariedade a Lewis Hamilton e apoiamos totalmente seu compromisso com a igualdade, diversidade e inclusão no esporte a motor”, finalizou a entidade.

Por fim, a Ferrari igualmente usou o Twitter para manifestar apoio a Hamilton. “Estamos ao lado da F1, Hamilton e Mercedes contra qualquer forma de discriminação”, publicou a escuderia italiana.

MERCEDES PODE BRIGAR COM A FERRARI NA FÓRMULA 1 2022?
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Escanteio SP.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar