Hamilton vê F1 em Catar e Arábia Saudita como “obrigação” de debater direitos humanos

Lewis Hamilton voltou a comentar sobre os problemas de violações dos direitos humanos em países visitados que vão receber a Fórmula 1 pela primeira vez neste ano, como Catar e Arábia Saudita

CHEFE DA MERCEDES PISTOLA NA F1 + CASO VERSTAPPEN – HAMILTON | WGP

Neste fim de semana, a Fórmula 1 corre pela primeira vez no Catar. Daqui a duas semanas, a estreia será na Arábia Saudita. Ambos os países vivem sob constantes críticas de violações dos direitos humanos, algo que tem sido pontuado com frequência por fãs da categoria e até por integrantes do paddock, com o heptacampeão mundial Lewis Hamilton.

Às vésperas da etapa em Losail, no Catar, o piloto da Mercedes comentou sobre o assunto e pediu que a F1 seja minuciosa nos locais que violam direitos humanos para que não seja conivente.

“Ao usar a badalação da F1 para tentar distrair atenção dos abusos de direitos humanos, Catar e Arábia Saudita esperam que exista pouca ou nenhuma discussão sobre esses problemas durante as corridas — algo que não deveria acontecer”, disse Hamilton, em comunicado, no início da semana.

Lewis Hamilton pediu para F1 ficar atenta a locais com problemas de direitos humanos (Foto: AFP)

LEIA TAMBÉM
+Bandeira de gesto histórico de Hamilton em Interlagos era de fã de Verstappen

No Catar, o tema voltou a ser mencionado pelo britânico da Mercedes. “Acho que os esportes vão a esses lugares, então há o dever de levantar questões sobre esses problemas. Esses locais precisam ser observados e a imprensa deve mencionar o assunto, o direito a igualdade é um tópico sério”, comentou.

“Entretanto, estou ciente de que neste lugar eles estão tentando fazer avanços, mas não conseguem mudar da noite para o dia. Ouvi que existem algumas coisas, mas ainda há uma longa jornada pela frente. O importante é trazer a noção de algum desses problemas”, seguiu.

Hamilton ainda disse que mudou sua visão sobre a questão de direitos humanos com o passar dos anos e se vê mais consciente da situação em alguns países atualmente.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

“Estive em vários desses países e foi ignorante, inconsciente dos problemas. Então, é questão de decidir se educar e dar mais valor ao esporte ou garantir que o esporte vai, de fato, fazer algo que estiver nesses países”, pontuou o piloto da Mercedes.

“É por isso que tentei levantar minha voz. Mas, de novo, existe pessoas brilhantes e com conhecimento dessas questões que estão realmente tentando lutar”, finalizou.

Fórmula 1 acelera neste fim de semana com o debutante GP do Catar, que será disputado no circuito de Losail. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades de pista AO VIVO e em TEMPO REAL.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar