Magnussen vê Red Bull fora do alcance da Haas e fala em grupo intermediário “ainda mais difícil” em 2019

Kevin Magnussen afirmou que a Red Bull não é um objetivo realista para a Haas, mesmo que a F1 tenha disputado apenas uma corrida até aqui. Para o dinamarquês, o grupo intermediário do grid está mais difícil neste ano, “muito mais que em 2018”

A bordo da Haas, Kevin Magnussen foi o 'melhor do resto' no GP da Austrália, que abriu a temporada da F1, na semana passada. O dinamarquês completou a corrida em Melbourne na sexta colocação, a mais de um minuto do vencedor da prova, Valtteri Bottas. Só que a etapa australiana viu uma Red Bull chegar ao pódio, enquanto a Ferrari ficou fora do top-3. Por isso, para Magnussen, a equipe dos energéticos também não é um objetivo realista para o time norte-americano em 2019, que passa agora a se concentrar mesmo no disputado bloco intermediário do grid.
 
Durante a pré-temporada, a equipe chefiada por Gunther Steiner afirmou que a meta era tentar competir com a Red Bull, especialmente devido ao primeiro ano de parceria do time austríaco com a Honda. Agora, Kevin acha que é mais complicado do que pareceu nos testes coletivos em Barcelona.
Kevin Magnussen (Foto: Haas)

"Ainda será difícil de chegar perto da Red Bull, eles estão muito à frente de nós e já são muito rápidos", disse o piloto. "Geralmente, eles evoluem muito bem ao longo do ano, mesmo na comparação com as outras grandes Mercedes e Ferrari."

 
O objetivo, então, é se colocar como quarta força do Mundial, o que seria um passo à frente diante daquilo que a equipe conseguiu em 2018, quando terminou o campeonato na quinta posição, atrás da Renault. "Acho que, como no ano passado, a disputa será acirrada", falou.
 
"Obviamente, é difícil dizer como será a batalha no pelotão intermediário, mas, ao menos, na Austrália foi perto. Pareceu muito o ano passado, talvez até mais próximo", concluiu Magnussen, que tem oito pontos no campeonato.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube