Massa diz que já esperava dificuldades em “difícil pista” de Cingapura e vê rivais “mais perto da Mercedes do que o habitual”

Felipe Massa terminou o primeiro dia de treinos livres em Cingapura com o 11º tempo da tabela. O brasileiro enfrentou dificuldades, mas nada que já não esperasse. E alertou que a Williams precisa melhorar muito para a classificação deste sábado, levando em conta o desempenho acima da média de Red Bull e Ferrari em Marina Bay

Felipe Massa enfrentou uma sexta-feira (18) de muito trabalho nos primeiros treinos livres para o GP de Cingapura, o 13ª da temporada 2015. Ao falar do 11º tempo na segunda sessão, realizada entre às 21h30 e 23h (hora local), o brasileiro contou com a Williams dedicou o tempo ao ajuste de pneus e acerto. As dificuldades surgiram ao longo das duas atividades, mas nada que tenha deixado Massa surpreso.

 
"É sempre o trabalho de sexta-feira de treinos livres, ou seja, para entender o comportamento dos pneus e da pista", disse o piloto, que virou em sua melhor marca 1min47s684, 1s5 mais lento que Daniil Kvyat, da Red Bull, que liderou a sessão final do dia.
Felipe Massa foi o 11º no TL2 (Foto: Beto Issa)
"Essa é uma pista difícil e hoje não foi tão diferente do que já esperava. Estava muito quente também. Para amanhã, vamos precisar analisar todos dos dados e melhorar o nosso desempenho para a classificação", explicou Felipe, também reconhecendo a alta competitividade apresentada pelas rivais diretas da Williams. 
 
"Sabemos que as equipes que nos rodeiam estão muito competitivas aqui, talvez estejam ainda mais perto da Mercedes que o habitual", alertou Massa.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube