Verstappen admite dificuldades com pneus médios em Las Vegas: “Começou a se abrir”

Max Verstappen reconheceu que teve dois stints bastante diferentes no GP de Las Vegas, com os pneus duros funcionando de maneira muito melhor do que os médios. Para o chefe Christian Horner, alternância de rendimento está ligada ao acerto do carro

Max Verstappen precisou se recuperar depois de sofrer uma punição de 5s na primeira volta do GP de Las Vegas, disputado no último fim de semana, ao espalhar sobre Charles Leclerc na largada — mas conseguiu, sem muitos problemas, vencer sua 18ª corrida em 21 disputadas pela Fórmula 1 em 2023. No entanto, a performance do carro foi bem diferente com pneus médios e duros, e o neerlandês disse que ainda precisa de uma explicação.

Max tomou o primeiro lugar de Leclerc logo na largada, mas acabou superado pelo monegasco na volta 14 e decidiu ir aos boxes para trocar os médios pelos duros. A partir daí, o ritmo subiu consideravelmente, e o campeão da temporada admitiu que sofreu muito mais com o desgaste no primeiro stint.

Relacionadas


“No momento, não sei [explicar]”, admitiu Verstappen. “Temos de analisar os motivos por trás disso, porque nas jornadas longas de quinta-feira, eles estavam [se comportando] bem. Acho que os duros eram apenas mais fortes contra a granulação, porque esse foi meu problema com os médios”, explicou o tricampeão mundial.

“O pneu simplesmente começou a se abrir, e isso te faz perder muita aderência”, avaliou. “Então, foi isso que aconteceu. Com os pneus duros, realmente não tive esse problema por um longo tempo. Isso definitivamente me ajudou bastante”, apontou.

Com os pneus duros, Verstappen viu o ritmo do carro melhorar bastante (Foto: AFP)

Para o chefe da Red Bull, Christian Horner, a diferença de desgaste entre os compostos está mais ligada ao acerto escolhido para o carro do que à punição sofrida pelo tricampeão no início da corrida.

“Acho que não”, opinou Horner, ao ser questionado se Verstappen estaria forçando demais para compensar a punição da primeira curva. “Acho que nosso acerto não era tão bom para os pneus médios quanto o da Ferrari. Então, com os duros, as coisas aconteceram de forma melhor para nós”, analisou.

Verstappen ainda precisou superar um toque de George Russell durante uma tentativa de ultrapassagem, algo que rendeu 5s de punição ao inglês e uma aleta quebrada na asa dianteira da Red Bull #1.

No fim, Max cruzou a linha de chegada com 2s de vantagem para Leclerc (Foto: AFP)

No entanto, mesmo após a entrada do safety-car, Max não sofreu grandes perdas de performance pelos danos na parte dianteira e partiu para a vitória sem muitos problemas. Segundo Horner, a peça não tem sido uma grande dor de cabeça para as equipes este ano.

“Nunca é o ideal, mas, por sorte, não foi um impacto tão grande”, frisou. “Vimos isso algumas vezes este ano. Algumas pessoas perdem aquela aleta, mas isso não afeta de forma tão dramática o desempenho do carro”, finalizou.

Fórmula 1 retorna neste final de semana, entre os dias 24 e 26 de novembro, com o GP de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, 22ª e última etapa da temporada 2023. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.