McLaren defende tática, mas diz que vai evitar ordens de equipe no futuro: “Estressa pilotos”

Andrea Stella, chefe da McLaren, explicou que a ordem para Lando Norris e Oscar Piastri trocarem de posição no Japão foi dada para evitar riscos de ambos perderem o pódio numa disputa por posição, mas assegurou que nem sempre a estratégia será adotada na F1

Embora tenha usado o velho recurso do jogo de equipe para garantir que Lando Norris e Oscar Piastri não arriscassem o pódio duplo no GP do Japão, a McLaren disse que quer evitar ordens do tipo nas próximas corridas da temporada 2023 da Fórmula 1. Nas palavras do chefe, Andrea Stella, tais situações acabam criando “estresse entre os pilotos”.

Na última corrida, realizada em Suzuka, a McLaren ordenou que Piastri desse passagem a Norris para compensar a estratégia e não houvesse o risco de que os dois perdessem tempo duelando entre si. O mesmo foi visto também nos GPs da Hungria e da Itália, e por mais que Stella tenha certeza de que a equipe fez a coisa certa, é algo que será revisado para o futuro.

Relacionadas


▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Andrea Stella admitiu que ordens de equipe “estressam os pilotos” (Foto: Maxim Shemetov / AFP)

“De certa forma, foi muito, muito mais fácil, pois essas duas situações [na Hungria e na Itália] foram estressantes, especialmente a de Monza”, começou o italiano. “E quando digo estressante é porque criamos estresse entre nossos dois pilotos, o que poderia ter sido evitado, na verdade”, admitiu.

“Nós revisamos isso. Pode acontecer novamente no futuro, mas quando for evitável, assim faremos”, garantiu Stella, explicando que, de início, o time de Woking observou a abordagem de Norris sobre Piastri para ver se a ultrapassagem aconteceria naturalmente.

“Quando vimos que não seria tão natural, pedimos aos pilotos para trocarem [as posições], para não perderem tempo entre si”, frisou, emendando que a diferença de ritmo entre os dois acabou acentuada pelo desgaste excessivo dos pneus.

“Em uma corrida como essa, a cada volta de pneu economizada, se você parar depois do outro piloto, ganha 0s1. Naquele momento, Lando parou seis voltas depois, portanto o carro dele é automaticamente 0s6 mais rápido que o outro”, continuou o chefe dos papaias.

“Além disso, o ritmo do Lando era muito bom em termos absolutos. E temos de ver com Oscar onde poderíamos ter ganhado 0s1 ou 0s2 em ritmo que ele não tinha comparado a Lando”, concluiu.

Fórmula 1 volta neste fim de semana, no Catar, 17ª etapa da temporada 2023. E o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.