McLaren pede “afrouxamento” dos protocolos de Covid-19 na F1 a partir de Monza

Zak Brown, diretor-executivo da McLaren, pede à F1 que "afrouxe" os protocolos de Covid-19. O dirigente quer alguns protocolos ainda em uso, mas sente que é hora de revisar medidas

F1: O SHOW DE VERSTAPPEN NA HOLANDA E O ANÚNCIO DE BOTTAS NA ALFA ROMEO | PADDOCK GP #255

A organização da Fórmula 1 adotou um protocolo rígido para realizar corridas durante a pandemia — até o final da temporada 2020, de 78 mil testes, 78 deram resultado positivo em 17 etapas. Agora, com vacinação avançada e público nas arquibancadas, o diretor-executivo da McLaren Zak Brown pede por um “afrouxamento” dos protocolos já para o GP da Itália, em Monza.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Segundo comunicado oficial da FIA (Federação Internacional do Automobilismo), foram realizados 6.691 testes de Covid-19 entre pilotos e equipes no GP da Holanda. Destes, apenas 16 deram positivo. Entre eles, esteve Kimi Räikkönen, que deu lugar para o piloto reserva da Alfa Romeo, Robert Kubica, correr em seu lugar. Por isso, Brown sugere que as regras ainda sejam aplicadas, mas de uma forma menos rígida.

“Eu definitivamente acho que as restrições da Covid-19 deveriam ser aplicadas. O que estou sugerindo é que elas sejam facilitadas de acordo com os protocolos governamentais”, disse o mandatário, em entrevista à agência Reuters.

ZAK BROWN; ANDREAS SEIDL; MCLAREN;
Zak Brown acredita que os protocolos para a Covid-19 na F1 precisam ser afrouxados (Foto: McLaren)

“Foi um assunto deste final de semana, e Stefano [Domenicali, chefão da F1] e a FIA reconheceram isto e deram a entender que farão mais algumas mudanças. Acho que o esporte reagirá”, acrescentou.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

No entanto, a maior preocupação na Europa neste momento é alta de casos, desde o início de julho, em decorrência da variante delta. O número de de internações, segundo o instituto alemão Robert Koch, está crescendo entre a população de 35 a 59 anos. Mas, para Brown, a F1 precisa seguir com mais firmeza às regras de cada país em relação à pandemia.

“Acho que precisamos seguir as diretrizes do governo mais de perto. Agora que foi discutido e todas as equipes concordam que precisamos começar a afrouxar as regras, talvez dê para pensar em fazer algo já em Monza”, concluiu.

COMO BOTTAS TEM CHANCE NA ALFA ROMEO DE SER PROTAGONISTA DE SUA HISTÓRIA NA F1

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar