F1

Mercedes e Red Bull suspeitam de desempenho do motor Ferrari nas retas: “Ninguém consegue acompanhar”

Desempenho superior da Ferrari nas retas chamou atenção e ligou alerta vermelho na Mercedes e Red Bull, que suspeitam de alguma violação de regulamento. Chefe de equipe dos austríacos, Christian Horner citou que o combustível da rival tem “cheiro de suco de toranja”

Grande Prêmio / Redação GP, de Campinas

A Mercedes venceu as duas primeiras provas da temporada 2019 da F1, com Valtteri Bottas na Austrália e Lewis Hamilton no Bahrein, mas é o desempenho da Ferrari que vem levantando suspeitas das equipes rivais. O time de Maranello foi bem superior nos treinos livres e na sessão de classificação na prova do Oriente Médio, mesmo com a vitória escapando das mãos de Charles Leclerc de modo dramático, já que o piloto monegasco liderava a corrida até lidar com problemas de potência no motor.

Com os carros de Leclerc e Sebastian Vettel ganhando 0s4 de vantagem nas retas no Bahrein, o desempenho chamou atenção e ligou o alerta vermelho na Mercedes, que não conseguiu bater de frente com a equipe em condições normais. "Ninguém consegue acompanhar", declarou o chefe de equipe Toto Wolff à revista alemã 'Auto Motor und Sport'. "Nestas circunstâncias, será difícil vencê-los", completou.

Para Adrian Newey, projetista da Red Bull, que apareceu 0s6 mais lenta nas retas que a Ferrari, o desempenho do time italiano é suspeito, especialmente por conta do MGU-K, que fornece mais energia do que o normal, o que pode significar alguma anormalidade nas câmaras de combustão.
 
"No ano passado, eles foram superiores na aceleração, enquanto igualamos a velocidade máxima. Agora, eles são mais rápidos nas retas do começo ao fim. Nossa velocidade de reta para em certo ponto porque o MGU-K não entrega a potência. O MGU-K da Ferrari está sempre aceso, não apaga", disse Newey.

"Parece que eles têm vantagem no motor de combustão e na energia elétrica. Pensávamos que a FIA havia eliminado todas as possíveis brechas no regulamento", completou.
A performance do motor Ferrari começa a levantar a suspeita das rivais (Foto: Bahrain International Circuit)
O que também intriga as equipes é que as equipes que utilizam os motores italianos, Alfa Romeo e Haas, não mostram desempenho parecido. A Haas tem uma desvantagem de 0s6 nas retas em comparação ao trio formado por Mercedes, Ferrari e Red Bull. Algo semelhante acontece com a Alfa Romeo.

Com Mercedes e Red Bull tentando entender o motivo de um desempenho tão superior nas retas, o chefe de equipe do time austríaco, Christian Horner, declarou que sentiu um odor estranho vindo da garagem dos italianos. "A gasolina da Ferrari cheira a suco de toranja", declarou.

A próxima etapa do calendário será o GP da China, que acontece entre os dias 12 e 14 de abril. A ocasião marca a disputa do 1.000º GP da história da F1.

Horários de Brasília, GMT -3

SESSÃO DIA DATA HORA
TL1 Quinta 11/4 23h
TL2 Sexta 12/4 3h
TL3 Sábado 13/4 0h
TC Sábado 13/4 3h
GP Domingo 14/4 3h10

Fórmula 1 2019 AO VIVO 🇨🇳 
Acompanhe todos os treinos livres, classificação e o GP da China aqui


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.