F1
08/02/2018 10:54

Mercedes fortalece chassi para encaixar Halo. A ponto de suportar peso de ônibus de dois andares

De acordo com a Mercedes, o Halo trouxe um novo desafio no desenvolvimento do chassi de um carro de F1. A equipe estima que os carros de 2018 vão ser capazes de suportar as 12 toneladas de um ônibus de dois andares, tradicional em Londres
Warm Up / Redação GP, de Porto Alegre
 George Russell testa no Halo na Hungria com a Mercedes (Foto: Mercedes)

A introdução do Halo, grande novidade da F1 na temporada 2018, trouxe um desafio para as escuderias. Os carros da categoria não só ficaram mais pesados como também precisaram se tornar mais robustos, suportando impactos mais fortes. E a Mercedes fez as contas: para o Halo ser efetivo, um carro de F1 precisa ser capaz de suportar o peso estimado em 12 toneladas de um ônibus de dois andares, tradicional em Londres.
 
“Isso não é uma peça leve. São alguns quilos de titânio que precisam ser colocados no carro. Foi necessário fazer algumas mudanças para garantir que o carro ia ficar abaixo do peso máximo. Não é leve também porque isso [Halo] aguenta peso”, disse James Allison, diretor técnico da Mercedes.
O Halo trouxe um desafio para as equipes de F1 (Foto: Xavier Bonilla/Grande Prêmio)

“Fortalecemos o design do chassi para garantir que desse para aguentar o peso dos ônibus de dois andares de Londres em cima do Halo. Tínhamos que garantir que seria forte suficiente para aguentar o tipo de situação na qual ele precisa proteger o piloto”, seguiu o dirigente.
 
O Halo chega como aposta da FIA para aumentar a proteção dos pilotos na região da cabeça. Apesar da premissa da segurança, a peça foi vítima de fortes críticas, principalmente por questões estéticas.