Na Garagem: GP dos EUA de 1971 tem ‘pódio maldito’ em vitória de Cevert

François Cevert rumou para uma vitória tranquila com 40s de vantagem para o segundo colocado. Foi a única vitória dele na F1. Jo Siffert e Ronnie Peterson, que haviam passado Stewart, fecharam o pódio. Howden Ganley, que largou em 12º com sua BRM, foi o quarto colocado. O neozelandês teria motivos para comemorar o fato de não estar no pódio naquela corrida

Quando a F1 chegou aos EUA, para a última etapa do Mundial de 1971, o campeonato já estava decidido em favor de Jackie Stewart. O escocês da Tyrrell já havia decidido a disputa dois meses antes, no GP da Áustria. Aos rivais, restava a luta pelo vice-campeonato, conquistado pelo sueco Ronnie Peterson, da March.
 
Mas, naquela época, havia a luta por prêmios: só o GP disputado em Watkins Glen, no dia 3 de outubro de 1971, pagou US$ 267 mil, sendo US$ 50 mil para o vencedor. Aquela corrida também representou uma mudança no traçado do circuito na costa leste dos EUA: a pista passou de 3701 para 5435 metros e a corrida teria 59 voltas.
Cevert acabou morrendo pouco depois da vitória nos Estados Unidos (Foto: Rob Ryder)
O calor foi a marca do fim de semana da corrida, com as temperaturas na casa dos 40ºC – uma marca incomum para o início do outono no hemisfério norte. Assim, os pneus sofriam duplamente: com as altas temperaturas e com o asfalto do circuito localizado no estado norte-americano de Nova Iorque.
Stewart conquistou a sexta pole em 11 etapas, com o tempo de 1min42s642. Com as filas organizadas no esquema 3-2, dois outros pilotos dividiam a primeira fila com ele: Emerson Fittipaldi, da Lotus, marcou 1min42s659 e Denny Hulme, da McLaren, foi o terceiro, com o tempo de 1min42s925. Em um treino muito equilibrado, os cinco primeiros estavam separados por apenas 0s510 e havia pilotos de quatro times diferentes entre os cinco primeiros no grid. François Cevert, companheiro de Stewart, foi quinto e a Tyrrell foi a única a colocar os dois carros entre os ponteiros.
Jackie Stewart no GP dos EUA de 1971 (Foto: LAT)
Na largada, Hulme pulou na ponta, seguido pelas Tyrrell de Stewart e Cevert. Mas, ao fim da primeira volta, o escocês já havia retomado a ponta. O neozelandês da McLaren segurou o pelotão e, com isso, Stewart abriu larga vantagem. Na cola de Cevert, o terceiro, vinham Clay Regazzoni, da Ferrari, Jo Siffert, da BRM e Jacky Ickx, da Ferrari, fechando a zona de pontuação.
Decorridas dez das 59 voltas, Cevert finalmente conseguiu ultrapassar Hulme e o francês começou a apertar o ritmo, de modo a conseguir alcançar o parceiro de equipe. Quatro voltas depois, Stewart tinha Cevert em seus retrovisores. O escocês sofria com o desgaste de pneus e, para não atrasar a corrida do parceiro, abriu a porta para a passagem de Cevert. Na volta 14, o francês era o novo líder.
Jo Siffert foi outro que morreu pouco depois da prova americana (Foto: Rob Ryder)
Stewart, então, começava a ser caçado por Ickx – o belga da Ferrari havia passado Hulme e agora mirava a dupla da Tyrrell. Na volta 17, Ickx conseguiu a ultrapassagem sobre o bicampeão. Faltava alcançar Cevert e o ferrarista saiu em busca do francês. Com metade da corrida, os pneus do francês sofriam o mesmo problema ocorrido com Stewart e, na volta 49, ele já estava no campo de visão de Ickx. Mas a conhecida má-sorte de Ickx resolveu dar as caras e o belga abandonou com um vazamento de óleo no giro seguinte.
 
Com isso, Cevert rumou para uma vitória tranquila e viu a bandeirada nove voltas depois, com 40s de vantagem para o segundo colocado. Foi a única vitória dele na F1. Siffert e Peterson, que haviam passado Stewart, fecharam o pódio. Howden Ganley, que largou em 12º com sua BRM, foi o quarto colocado. O neozelandês teria motivos para comemorar o fato de não estar no pódio naquela corrida.
O carro #32 de Jacky Ickx (Foto: Jorge Felix)
Cevert morreu dois anos depois, em Watkins Glen – o episódio precipitou a aposentadoria de Stewart, desgostoso com a morte do amigo. Siffert faleceu apenas 21 dias após o GP dos EUA, em um acidente numa prova extra-campeonato em Brands Hatch e Peterson também teve um fim tenebroso: o sueco faleceu após um acidente na largada do GP da Itália de 1978. Sete anos depois, a mesma tenebrosa coincidência: os três pilotos do pódio do GP da Áustria de 1978 também morreram na pista – além de Peterson, lá estavam Gilles Villeneuve e Patrick Depailler.
 
O GP dos EUA em Watkins Glen marca uma outra coincidência, desta vez, mais alegre: o circuito norte-americano teve as primeiras vitórias de Cevert (1971), Fittipaldi (1970) e Jochen Rindt (1969).  

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube