Na Garagem: Hill vence GP do Japão e vira primeiro filho de campeão a levar título na F1

Damon Hill, que travou rivalidade com Michael Schumacher, foi o primeiro filho de um campeão mundial a conseguir levantar o troféu da F1

Paddock GP #260: Bottas vence na Turquia, mas Mercedes perde e Verstappen lidera F1 2021

Há exatos 25 anos, em 13 de outubro de 1996, Damon Hill passava a ser o primeiro piloto de F1 da história a repetir o feito do próprio pai e garantir o título mundial da categoria, no GP do Japão. Além disso, seria também o último inglês a ser campeão até a chegada de Lewis Hamilton. E para quem olha os números, se engana ao pensar que as oito vitórias em 16 etapas trouxeram um título fácil ao último companheiro de Ayrton Senna na Fórmula 1.

A verdade é que Hill precisou ter paciência para triunfar na Fórmula 1, algo que só conseguiu após assimilar derrotas em momentos-chave e acumular experiência até atingir o ápice naquele dia em Suzuka.

A entrada de Hill na Fórmula 1 aconteceu no ano de 1992, com uma Brabham que possuía dificuldades até mesmo para se classificar para as corridas. Para se ter uma ideia, sua estreia aconteceu apenas no GP da Inglaterra, nona etapa da temporada, com um 16º lugar. Aquele ano foi amplamente dominado por Nigel Mansell, que venceu oito das 10 primeiras etapas a bordo da FW14, o ‘carro de outro planeta’, e conquistou o título mundial com enorme antecipação no GP da Hungria.

Para o ano de 1993, a Williams perderia seus dois pilotos e teria que fazer uma nova contratação. Mansell não teve seu acordo renovado com a equipe, deixou a Fórmula 1 e cruzou o Atlântico para correr na Indy pela Newman/Haas, enquanto Riccardo Patrese partiu de mudança para a Benetton. Assim, a dupla da equipe passaria a ser Damon Hill e Alain Prost, que viria a ser campeão naquele ano. O primeiro pódio do inglês aconteceu logo em sua segunda corrida pela Williams, no Brasil, quando chegou a liderar mas terminou em 2º lugar depois de levar um ‘olé’ de Ayrton Senna.

A primeira vitória não tardou e ocorreu no mesmo ano, na Hungria, com mais de 1 minuto de vantagem para o segundo colocado, Patrese.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Damon Hill cruza linha de chegada já como campeão da Fórmula 1, e equipe Williams celebra vitória e título (Foto: Williams)

A partir da aposentadoria de Prost e a morte de Senna, Hill tornou-se o principal piloto da escuderia e, naturalmente, um dos grandes candidatos ao título. E nos dois anos seguintes, o inglês brigou de fato pelo título mundial da categoria, perdendo ambos para Michael Schumacher. Na última etapa de 1994, em Adelaide, os dois estavam separados por apenas 1 ponto — com o alemão na frente — quando se encontraram na volta 36, após erro do alemão.

Hill tentou a ultrapassagem que valeria a taça, Michael fechou a porta e os dois bateram. Assim, o título caiu no colo daquele que viria a ser heptacampeão do mundo dez anos depois.

Após novo vice em 1995, desta vez com uma diferença considerável de 33 pontos para Schumacher, Hill viu o alemão se mudar da Benetton para a Ferrari. Assim, 1996 enfim se tornou o ano de consagração do britânico no automobilismo. Damon venceu as três primeiras corridas do ano — Austrália, Brasil e Argentina — e se colocou imediatamente como homem a ser batido pelo título mundial.

Em seguida, seu companheiro de equipe, Jacques Villeneuve — que havia sido campeão da Indy no ano anterior — assegurou a vitória da quarta etapa, no GP da Europa, antes de Hill dar o troco no GP de San Marino, em Ímola. Nas 11 corridas seguintes, ninguém venceu mais do que o inglês, com quatro triunfos (Canadá, França, Alemanha e Japão).

Além dele, Olivier Panis, da Ligier, venceu em Mônaco, enquanto Schumacher teve três triunfos no período, mesmo número de Villeneuve. Assim, com 8 vitórias nas 16 etapas da temporada, exatamente metade, Hill coroou seu auge na Fórmula 1 com a conquista do título na última prova do campeonato, o GP do Japão, em 13 de outubro de 1996.

Depois de largar em segundo, atrás de Villeneuve, Hill chegou à última etapa do ano com apenas ele e o parceiro de equipe podendo ser campeões. Logo na largada, o canadense tracionou mal e despencou para sexto, com o inglês assumindo a liderança para não largar mais, apenas durante a rodada de pit-stops. Na volta 37, entretanto, Villeneuve perdeu a roda traseira direita, não conseguiu segurar o carro e parou só direto na barreira de pneus. O revés do filho de Gilles garantiu a Damon Hill, filho de Graham, seu primeiro título mundial, antes mesmo de terminar a prova.

Hill controlou com contundência a sequência da corrida e cruzou a linha de chegada com 1s883 de vantagem para Michael Schumacher, segundo colocado, e 3s212 à frente de Mika Häkkinen, da McLaren, que fechou o pódio com a McLaren. Naquele momento, Hill repetia o feito de seu pai, Graham, bicampeão em 1962 e 1968, algo que apenas Nico Rosberg, campeão em 2016, conseguiu replicar com seu pai, Keke, campeão de 1982.

Após a conquista, a primeira pessoa a parabenizar Hill pelo título foi justamente Schumacher, seu algoz nos dois anos anteriores.

Pódio do GP do Japão de 1996, corrida que trouxe a confirmação do título para Damon Hill (Foto: Williams)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Assim como aconteceu com Nigel Mansell, Damon Hill não teve seu acordo renovado com a Williams no ano em que conquistou o título. Em 1997, de mudança para a mediana Arrows, o piloto conseguiu fazer apenas um ponto em todas as 10 primeiras etapas do ano. Na 11ª, o GP da Hungria, Damon surpreendeu o mundo da F1, largou em terceiro, mas conseguiu assumir a liderança da etapa na volta 11, quando seguiu como líder até o giro 76.

Parecia que o inglês conseguiria fazer história novamente, dando à Arrows sua primeira vitória na história, quando problemas hidráulicos em seu carro o fizeram perder qualquer chance de vitória, sendo superado no fim por Jacques Villeneuve. No entanto, ainda conseguiu terminar em segundo, resultado que igualava o melhor posto alcançado pela escuderia e lhe dava o único pódio de 1997.

Em 1998, Hill enfim conseguiu realizar o feito e dar a uma equipe de F1 sua primeira vitória na história. Foi com a Jordan, no molhado GP da Bélgica, que Damon cruzou a linha de chegada em 1º pela última vez em sua carreira. Curiosamente, seu companheiro de equipe era Ralf Schumacher, irmão de um de seus maiores rivais na categoria e que completou a dobradinha naquele dia.

No ano seguinte, Hill entrou em seu último ano pela Fórmula 1. Ainda pela Jordan, não obteve tanto destaque e, ao fim daquela temporada, encerrou a carreira. Após a aposentadoria, Damon continuou trabalhando envolvido com carros, teve até uma concessionária BMW e em 2006, foi eleito presidente da Associação dos Pilotos de Corrida Britânicos. Hoje em dia, o inglês também faz participações em emissoras de TV para comentar os acontecimentos da Fórmula 1.

Sergio Pérez impede ultrapassagem de Lewis Hamilton no GP da Turquia

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar