Hülkenberg vê “poucas mudanças” em carro de 2022 e avisa: “Risco de ar sujo existe”

Após testar carro de 2022 da Fórmula 1 em simulador, alemão Nico Hülkenberg afirmou não ter percebido tantas mudanças em relação aos atuais e alertou para possibilidade de turbulência

AS NOVIDADES DA F1 2022: O QUE ESPERAR DE ALBON E ZHOU?

A Fórmula 1 vai passar por um período de mudanças a partir de 2022, ano em que o novo regulamento técnico da categoria passa a entrar em vigor. Com isso, novos carros serão vistos nas pistas este ano, com um novo conceito aerodinâmico que promete permitir aos pilotos uma maior facilidade de aproximação em altas velocidades — principal reclamação das corridas nos dias de hoje. E Nico Hülkenberg, experiente ex-piloto da F1 com 179 GPs disputados, revelou as primeiras impressões que teve ao guiar o novo modelo no simulador.

“Eles traçaram como objetivo fazer carros um pouco mais lentos, mais desafiadores de se pilotar, precisa-se de mais foco”, explicou Hülkenberg em sua página do LinkedIn. “E pilotos que façam a diferença, ao invés do desempenho do carro e o domínio da aerodinâmica”, disse.

No entanto, o alemão reconheceu que não entende como a questão do ar sujo — que essencialmente dificulta a aproximação dos carros ao causar turbulência para quem vem atrás — será resolvida, além de afirmar que os carros não parecem tão diferentes de se pilotar do que os atuais monopostos da F1.

F1; FÓRMULA 1; NICO HÜLKENBERG; RACING POINT; GP DE EIFEL; F1;
Hülkenberg fez suas últimas corridas pela F1 em 2020, pela Racing Point (Foto: Racing Point)

“Porém, da minha experiência inicial, os carros são bem rápidos e não necessariamente mais lentos que a última geração”, avaliou. “A experiência de pilotagem não mudou tanto também, ao menos no simulador. Será muito interessante ver se esses carros realmente conseguem seguir uns aos outros de forma mais fácil”, questionou.

Por fim, o piloto destacou a “grande curva de aprendizado para todos os envolvidos” e opinou que as equipes que vêm dominando a F1 nos últimos anos, principalmente Mercedes e Red Bull, devem estar à frente das outras novamente em 2022. Além disso, o piloto alemão espera por boas surpresas quando os carros finalmente forem testados na pista.

“No simulador, as curvas são extremamente rápidas, então o risco de ar sujo ainda existe”, salientou. “E é difícil para mim imaginar que seguir outro carro confortavelmente nessas velocidades será algo fácil. De qualquer maneira, espero que sejamos surpreendidos positivamente. Uma vez que os testes de pré-temporada começarem, pilotos e equipes vão descobrir como seus carros se comportam na pista”, destacou.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Nico Hülkenberg testou pela McLaren em 2021, mas decidiu não correr na Indy por “motivos pessoais” (Foto: Indycar)

A pré-temporada da Fórmula 1, primeira oportunidade que os pilotos e as equipes terão para testarem seus carros em um circuito, está marcada para acontecer entre os dias 23 e 25 de fevereiro, em Barcelona. No mês seguinte, mais três dias de testes acontecerão no Bahrein, entre 11 e 13 de março, antes do início da temporada no mesmo local, com corrida marcada em Sakhir para o dia 20.

A última participação de Hülkenberg como titular na F1 foi em 2019, como piloto da Renault. Em 2020, o alemão participou de três corridas pela Racing Point, sempre substituindo pilotos que testaram positivo para Covid-19. No ano passado, foi piloto reserva e de desenvolvimento da Aston Martin, sétima colocada no Mundial de Construtores ao final da temporada.

Nico é conhecido pelo fato de ser o piloto de F1 com mais GPs disputados sem um único pódio, algo que não deve mais acontecer já que o competidor descartou uma tentativa de voltar ao grid em 2022. Recentemente, Hülkenberg participou de testes com a McLaren para uma possível entrada na Indy, mas mudou de ideia e descartou a estreia devido a “motivos pessoais”.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar