Opinião GP: Vettel precisa de um milagre? Sim. Mas santo já apareceu com suas asas: a Red Bull

Apesar de todo o esforço na recuperação no GP da Malásia, Sebastian Vettel ainda sustenta uma grande desvantagem em relação a Lewis Hamilton – ainda consequência da caótica largada de Singapura. O tetracampeão precisa agora um milagre para emparelhar o jogo. E a salvação – por mais incrível que possa parecer – vem da Red Bull

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

POR MAIS QUE Sebastian Vettel insista em deixar o abandono de Singapura para trás, aquele acidente da largada ainda ecoa. Grande parte da enorme desvantagem que possui no campeonato com relação a Lewis Hamilton se deve àquele incidente. E a coisa só piorou na Malásia, com a falha de motor e a última posição do grid. É bem verdade que o tetracampeão foi valente e tirou tudo que podia de uma afinadíssima Ferrari. A corrida de recuperação foi espetacular, muito embora a frieza dos números na tabela de pontos não faz jus à atuação do piloto. Assim sendo, é possível dizer que, diante dos 34 pontos de vantagem de Hamilton, Sebastian agora precisa de um milagre. Mais do que nunca. 
 
De fato, só algo muito fora da curva pode ajudá-lo. Só que essa ajuda está mais perto do que se possa imaginar. E atende por Red Bull. Sim, a equipe austríaca pode muito bem atuar como fiel da balança neste quarto final da temporada. A verdade é que o time chefiado por Christian Horner cresceu nesta segunda fase do campeonato. Já havia dado prova de que poderia brigar de igual para igual com a Ferrari e a Mercedes em Singapura. E agora, em Sepang, comprovou o passo à frente.
 
Em uma pista que, em tese, não seria a melhor para o conjunto RB13 Renault, Max Verstappen e Daniel Ricciardo surpreenderam ao exibir um ritmo forte – tanto em classificação quanto em corrida. Ambos também mostraram que não seria uma tarefa fácil combatê-los em pista molhada. Dito isso, é perfeitamente plausível falar que a equipe das bebidas energéticas terá um papel decisivo na disputa do título – a vitória maiúscula do holandês fala por si. E podemos listar mais motivos: 1) porque agora tem um carro rápido e constante; 2) possui a melhor dupla entre as equipes ponteiras e 3) não parece temer as pistas que estão por vir. 
Esses dois terão um papel decisivo na briga pelo título em 2017 (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Neste momento, a hierarquia está assim: a Ferrari promoveu melhorias importantes e voltou a ter um carro melhor que o da Mercedes no geral. A SF70-H é mais equilibrada e se adapta mais facilmente aos diferentes traçados e à influência do clima. Já o carro prata é mais complexo, não gosta de certas pistas e pede um esforço maior de seus pilotos. Por isso, também não se pode colocar aí na balança que aquela análise sobre os circuitos ‘bons’ para a Mercedes caiu por terra. Pode acontecer qualquer coisa agora. 
 
Em tese, a equipe tricampeã era a favorita em Sepang. E contava com isso, mas acabou sendo pega de surpresa pelo ritmo das duas rivais — especialmente da Red Bull. Então, pode-se entender que Suzuka será mais uma etapa complicada, dadas as características do traçado e ao momento vivido por suas adversárias.

E aí há o seguinte cenário: Vettel agora precisa vencer as cinco corridas finais para conquistar o pentacampeão por um mísero ponto, se Hamilton for segundo em todas. Mas as chances de tudo isso acontecer são pequenas. Apesar de não ser mais dominante, a Mercedes também tem suas armas. Mas a Red Bull, agora andando mais próxima, pode colocar Verstappen e Ricciardo nesse balaio. Aliás, os dois surgiram agora até mais importantes do que Valtteri Bottas e Kimi Räikkönen — que, convenhamos, não estão no melhor de suas performances, principalmente o primeiro, que teve uma atuação sofrível em Sepang e já admitiu a falta de confiança.

Sebastian Vettel ainda tem uma chance (Foto: AFP)
O milagre de Vettel é difícil, mas não impossível. O santo tem nome. E tem asas.
Opinião GP é o editorial do GRANDE PRÊMIO que expressa a visão dos jornalistas do site sobre um assunto de destaque, uma corrida específica ou o apanhado do fim de semana de automobilismo.
 
TORO ROSSO DEMOROU DEMAIS

REBAIXAMENTO SEGUIDO DE AFASTAMENTO DE KVYAT É TUDO, MENOS INJUSTO  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube