Para combater Red Bull, Mercedes tenta corrigir aerodinâmica: as atualizações do W12

A Mercedes levou para a Inglaterra o último pacote de atualizações do W12. As novidades ganharam enorme importância porque são vistas como a chance final de resistência dos alemães contra a Red Bull, que agora domina o campeonato

Como forma de combater a Red Bull, a Mercedes entrega neste fim de semana o último grande pacote de atualizações da temporada 2021. A equipe escolheu Silverstone, palco do GP da Inglaterra, por ser uma pista mais adequada ao W12, que gosta de curvas de alta velocidade. A questão é que a esquadra perdeu rendimento na comparação com a rival Red Bull porque o carro apresenta deficiências do ponto de vista aerodinâmico, o que afeta o equilíbrio e o desgaste dos pneus.

Ainda que já tenha mudado o foco para 2022, a heptacampeã não pretende desistir da briga com a adversária austríaca, que, neste momento, sustenta uma vantagem de 44 pontos na liderança do campeonato.

Mas o que os engenheiros da Mercedes trouxeram de novo? A ideia principal foi corrigir as falhas ligadas à aerodinâmica. A equipe alemã concentrou grande parte das mudanças na área dos bargeboards, que são peças localizadas entre as rodas da frente e as entradas de ar, na lateral do carro. Esse recurso tem como função direcionar o fluxo de ar que vem da parte dianteira dos modelos. Então, desapareceram algumas das palhetas verticais dos bargeboards, que foram substituídas por palhetas horizontais mais longas.

LEIA TAMBÉM
+Pontuação extra, pneus e até horários: tudo sobre a primeira corrida sprint da Fórmula 1

A Mercedes mudou os bargeboards na lateral do carro e o assoalho (Foto: AFP)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Outro grande ponto de mudança foi o fundo o carro. A Mercedes redesenhou o assoalho, como forma de aceitar o direcionamento do ar. O time eliminou a borda externa ondulada do piso e agora tem uma seção dobrada para cima mais uniforme.

De acordo com o site inglês The Race, a esquadra chefiada por Toto Wolff alterou toda a estrutura do aerodinâmica do projeto inicial, para reduzir o arrasto e melhorar a velocidade de reta, que vinha sendo a grande queixa dos pilotos desde o GP do Azerbaijão.

 Todas as mudanças foram à pista nesta sexta-feira (16), em que a equipe multicampeã decidiu por uma configuração de asa traseira diferente para Lewis Hamilton e Valtteri Bottas. O inglês andou com um acerto com menos carga, enquanto o nórdico tinha mais downforce. A principal, a Mercedes também trabalhou de forma diferente no único treino livre do dia, dividindo os trabalhos entre a preparação para a classificação de logo mais e a corrida de sábado, que vai definir o grid de largada. Enquanto isso, Max Verstappen comandou o TL1 com sobras.

A sessão classificatória, que neste fim de semana vai definir o grid de largada da corrida sprint, no sábado, acontece às 14h (de Brasília (GMT-3) desta sexta-feira. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar