Pérez se defende e diz que esperava erro de Ricciardo. Ocon minimiza chance perdida: “Não foi justo, mas minha hora vai chegar”

Pilotos da Force India mais uma vez pontuaram na F1, nem sem uma fechada do mexicano para cima do francês nas voltas finais do GP do Canadá

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Com os três primeiros colocados praticamente definidos, a parte final do GP do Canadá parecia tranquila neste domingo (11). Isso se não fosse a disputa roda com roda dos dois carros da Force India. De um lado, o mais experiente Sergio Pérez disse que esperava só uma chance para subir no pódio; do outro, o jovem Esteban Ocon queria mostrar serviço e provar que também poderia ir além.
 
Depois de sustentar a segunda posição durante boa parte da prova, em muito pelas sucessivas bandeiras amarelas nas primeiras voltas, Ocon aparentava ter um carro mais acertado que o companheiro Pérez. Daí em diante começou aquela velha negociação por rádio para ver quem poderia atacar o terceiro colocado Daniel Ricciardo. Um engenheiro até sugeriu que Pérez desse uma chance para Ocon realizar a manobra e, se não conseguisse, devolvesse a posição. Claro que nada disso foi aceito.
 
“O que eu precisava era um simples erro, uma simples travada de roda, mas ele dirigiu impecavelmente até o fim da corrida. Quando o time pediu para eu deixar o Ocon passar, pedi a eles para que me dessem a chance [de superar Ricciardo]. No final, tive quase 40 voltas para ultrapassar e ele não cometeu um erro sequer. Esteban [Ocon] teve 40 ou 50 voltas atrás de mim, com pneus mais novos, e não foi o bastante para chegar perto”, defendeu-se Pérez.
Esteban Ocon e Sergio Pérez travaram animada briga no final do GP do Canadá (Foto: Force India)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A situação estaria até que aceitável se não fossem também as pesadas investidas de Sebastian Vettel, em sua prova de recuperação. Tetracampeão do mundo que é, o alemão não demorou para aproveitar os pneus mais novos e colocar sua Ferrari de lado e ultrapassar as Force India – primeiro em uma manobra ousada com Ocon e, depois, já com mais facilidade sobre Pérez a menos de três voltas para o fim. Foi o suficiente para o francês ficar chateado com o mexicano.

 
“Isso não é justo, não se pode fazer isso”, disse Ocon, ainda pelo rádio da equipe, após levar uma fechada do companheiro. “Assim são as corridas às vezes. Sei que minha hora vai chegar”, completou o francês. 
 
Como não poderia deixar de ser, o chefe de equipe Otmar Szafnauer tratou logo de colocar panos quentes nas declarações de seus pupilos. Ele próprio disse não saber se o ritmo de Ocon seria suficiente para se beneficiar de uma ultrapassem em Pérez e só aí atacar Riccardo.
 
“É uma linha tênue. Se tivéssemos 100% de certeza que seria possível a ultrapassagem, teríamos feito. Mas não sabíamos”, disse Szafnauer, em entrevista à Sky Sports.
 
A briga no final só mostrou o quanto os dois carros da Force India estão rendendo bem. Depois de sete etapas, os dois deixaram de pontuar apenas no GP de Mônaco.
A oitava etapa do Mundial de F1 acontece em 25 deste mês, no apertado circuito de Baku, no GP do Azerbaijão.
A NOVA F1 SE APROXIMA MAIS DA INDY. E ÁUDIO EM MÔNACO É PROVA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube