Petrov se pronuncia após assassinato do pai: “Não há limite para a minha dor”

Vitaly Petrov se pronunciou pela primeira vez desde a morte do pai, Alexander, assassinado na noite do último sábado na cidade de Vyborg. O ex-piloto, que estava no GP de Portugal como comissário da FIA, teve de voltar às pressas ao país-natal

O ex-piloto russo Vitaly Petrov veio a público pela primeira vez depois que seu pai, Alexander Petrov, foi morto na noite do último sábado (24), em Vyborg, cidade-natal do antigo competidor. Vitaly deixou Portimão, onde atuava como comissário do GP de Portugal de Fórmula 1, às pressas tão logo soube do assassinato do pai.

Nesta manhã de terça-feira, em sua conta no Twitter, Vitaly não escondeu a emoção. “Esta é a pior coisa que poderia acontecer comigo. Não há limite para a minha dor. O coração parece querer parar. Nossa família perdeu a pessoa mais próxima, amada, sincera e gentil do mundo”, escreveu.

“Meu irmão e eu, com mamãe, simplesmente não podemos acreditar no que está acontecendo. Ele se foi, mas ele está vivo, vivendo em mim”, completou.

VITALY PETROV; ALEXANDER PETROV;
Vitaly Petrov se emocionou em post após morte do pai, Alexander, ocorrida no último sábado (Foto: Reprodução)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Segundo veículos de informação da Rússia, Alexander Petrov foi baleado por um sniper. O corpo do empresário, que tinha 61 anos, foi achado por um policial, que chamou sua equipe e uma ambulância. A morte aconteceu por volta das 18h locais (12h em Brasília), conforme informação do canal de TV Baza.

Outros veículos de comunicação russos confirmaram o assassinato de Alexander, descrito como “autoritário” pelo site 47news, um dos primeiros a anunciar a morte. De acordo com a publicação, o pai de Vitaly estava em sua sauna em casa e depois foi mergulhar em um rio. Lá havia um atirador.

A liderança do Comitê de Investigação da região de Leningrado e o Departamento de Investigação Criminal estão trabalhando no local. Um grande número de investigadores forenses saiu de São Petersburgo para trabalhar no caso.

Alexander era deputado municipal de Vyborg pelo partido Rússia Unida, o mesmo do presidente Vladimir Putin, e dono de uma rede de empresas, das quais se destacam a Vyborg Shipyard, de construção naval, Vyborg Fuel Company, de combustíveis.

Vitaly Petrov, o filho, voltou a aparecer na Fórmula 1 no fim de semana passado como um dos comissários do GP de Portugal. Sua presença, inclusive, foi motivo de críticas por parte dos pilotos. Lewis Hamilton questionou a escolha após uma série de comentários preconceituosos por parte do russo.

O ex-piloto deixou a sua função de comissário em Portimão por “questões pessoais”, disse a FIA, e foi substituído por Bruno Correia, piloto do safety-car da Fórmula E.

Dono de uma curta carreira de três temporadas e 57 GPs disputados, Petrov passou pela Renault, equipe pela qual conquistou seu único pódio na Fórmula 1, no GP da Austrália de 2011, e encerrou sua trajetória no Mundial como piloto da Caterham.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube