Gasly bate dupla da Ferrari e lidera 1º dia de testes da F1 no Bahrein. Hamilton é 11º

Em um primeiro dia em que a Ferrari esteve na liderança quase que o tempo todo, Pierre Gasly cresceu na fase final e colocou a AlphaTauri na dianteira dos testes coletivos no Bahrein

Pierre Gasly colocou a AlphaTauri na frente no primeiro dia de testes coletivos no Bahrein. Na segunda semana da pré-temporada da F1, o francês deixou o melhor para o fim, calçando as gamas de pneus mais macias na hora decisiva e, assim, cravando 1min33s902 com os C5.

Gasly deu 104 voltas, uma das maiores marcas do dia 1. A Ferrari foi outro enorme destaque. Em segundo apareceu Carlos Sainz, quase 0s5 mais lento que o francês. Charles Leclerc, que puxou a fila no período da manhã, ficou em terceiro. A dupla do time italiano combinou para 116 voltas.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

A sessão foi encerrada cerca de 10 minutos mais cedo e de forma bizarra. Durante um treinamento de safety-car virtual, Sergio Pérez perdeu o controle de sua Red Bull, rodou e atolou na brita. O VSC virou bandeira vermelha, que logo se transformou em quadriculada, era fim do dia.

A Aston Martin teve momentos positivos também no dia. De manhã, Sebastian Vettel andou no grupo da frente, fechando em oitavo no geral. Lance Stroll foi ainda mais veloz e ficou em quarto. A quilometragem do time que não foi grandes coisas, com 89 giros no somatório da dupla.

Alexander Albon ficou em quinto na tabela de tempos e também superou as 100 voltas completadas, enchendo a Williams de esperança para a temporada. Depois vieram Lando Norris, Valtteri Bottas, Vettel, George Russell e Pérez. Leiws Hamilton ficou com a 11ª posição, em um dia bem discreto da Mercedes, que ao menos somou 122 voltas com seus pilotos.

Fernando Alonso sofreu com mais problemas da Alpine e foi 12º com apenas 24 voltas. Esteban Ocon, que deu 42 giros, Guanyu Zhou e Pietro Fittipaldi, que também teve uma Haas complicadíssima, fecharam o grupo dos pilotos que foram à pista. Os americanos, em grave crise, só deram 47 giros.

Os testes continuam nesta sexta-feira, a partir das 4h (de Brasília), para o segundo dia de trabalhos no circuito de Sakhir e mais oito horas divididas em dois turnos – 4h às 8h e 9h às 13h. O GRANDE PRÊMIO acompanha a cobertura da pré-temporada da Fórmula 1 no Bahrein AO VIVO e em TEMPO REAL. A análise acontece no Briefing assim que as atividades em pista acabarem. 

Pierre Gasly liderou o dia no Bahrein (Foto: AFP)

Confira como foi o primeiro dia de testes:

Com relação ao período da manhã bareinita, Mercedes, Ferrari, Alpine, Aston Martin e Alfa Romeo substituíram seus pilotos: George Russell, Carlos Sainz, Fernando Alonso, Lance Stroll e Valtteri Bottas, respectivamente, assumiram o volante. Red Bull, McLaren, AlphaTauri e Williams permaneceram com Sergio Pérez, Lando Norris, Pierre Gasly e Alex Albon em suas escalações, enquanto a Haas, que não participou dos trabalhos iniciais, lançou Pietro Fittipaldi à pista.

O brasileiro – que não conseguiu a vaga titular na equipe americana e foi preterido por Kevin Magnussen -, inclusive, foi o primeiro piloto a andar no circuito de Sakhir para a segunda sessão de testes, mas já com quase nove minutos de bandeira verde. O membro da Haas deu somente uma volta na pista e logo voltou aos boxes.

Por outro lado, assim que levou o MCL36 ao circuito, Norris quis compensar o tempo perdido na sessão da manhã – mais cedo, o piloto enfrentou problemas nos freios dianteiros de seu carro. Ainda que inicialmente andando de maneira lenta, com pneus C2, o inglês da McLaren andou por dez voltas. Bottas, Sergio Pérez, Alonso e, mais tarde, Stroll logo se juntaram a ele.

Sergio Pérez encerrou mais cedo o dia (Foto: AFP)

O canadense da Aston Martin, inclusive, foi o responsável pela primeira bandeira vermelha dos testes de pré-temporada no Bahrein. As grelhas com sensores, colocadas no carro do piloto, ficaram raspando nos pneus traseiros do AMR22, deixando detritos na pista – portanto, a sessão foi interrompida para que o circuito pudesse ficar limpo novamente.

Depois de cinco minutos de pausa forçada, Sainz iniciou uma sequência longa de voltas. Russell, depois de ficar somente nos boxes na primeira hora da segunda sessão, também foi à pista. Enquanto o piloto da Ferrari conseguia o melhor tempo da tarde – 1min36s687, com pneus C2 -, o inglês da Mercedes reclamava de problemas no assoalho e no volante do W13.

Ao passo que Pérez alcançava a marca de 100 voltas no dia e Norris encaixa voltas mais rápidas, Bottas surpreendia com a sua Alfa Romeo. Primeiro, de pneus C3, o finlandês anotou 1min36s279 e alçou à quinta posição; pouco depois, fez 1min35s495 e chegou ao terceiro lugar.

Carlos Sainz brilhou no Bahrein (Foto: AFP)

Já nas duas horas finais do dia, a Haas finalmente conseguia voltar para a pista. Pietro superava os 20 giros e, consequentemente, registrava sua melhor marca, 4s7 acima do líder Leclerc, suficiente para deixar Alonso para trás, em 14º.

No pelotão da frente, Gasly tornava a aparecer forte. O francês da AlphaTauri basicamente empatava com Bottas, ou seja: se colocava à frente de Vettel, em quarto. No ranking dos maratonistas, Albon encostava nas 100 voltas, mas passava rente ao muro com sua Williams. A marca foi batida com mais de 90 minutos de sessão pela frente.

Enquanto o top-5 permanecia intacto desde a investida de Gasly, as posições seguintes iam sendo mexidas. Primeiro, Stroll subia para sexto, mas logo recuava para sétimo com a volta de Sainz, 1s269 mais lento que Leclerc, se posicionando entre as duas Aston Martin.

Quando a hora final chegou, porém, dois nomes bagunçaram a ordem dos primeiros colocados. Com os pneus C4, Stroll pulava para terceiro, na frente de Bottas. Segundos depois, o canadense descia para quarto, com Gasly, de C3, colocando a AlphaTauri em segundo, apenas 0s2 mais lento que Leclerc.

Quando calçou os C4, Pierre foi para a dianteira. O francês virou 1min34s010 com os pneus mais macios, enfiando 0s5 em cima de Leclerc. Sainz, companheiro do monegasco na Ferrari, também crescia de produção, aparecendo em terceiro. Os dois carros do time italiano tinham a melhor marca de C3.

Quem voltava para a pista era Alonso, superando os problemas que o tiraram de parte importante do dia. No entanto, o espanhol não baixava seu tempo e seguia na última colocação dos 15 pilotos, quase 1s mais lento que Fittipaldi.

Aliás, Alonso não conseguia melhorar seu tempo, mas estava disposto a causar grandes momentos. O espanhol se espremeu com Stroll e os dois quase se bateram. Faltou alguém avisar a dupla que não era corrida. Enquanto isso, com os pneus C5, Gasly ficava ainda mais líder, com 1min33s902.

Sainz subia para a segunda colocação e aquele parecia o último ato do dia. Mas aí, quando menos se esperava, Pérez deu um jeito de decepcionar. O mexicano, perdendo o controle do carro durante uma simulação de safety-car virtual, atolou na brita. A bandeira vermelha virou quadriculada, era fim do dia.

Fórmula 1 2022, Pré-Temporada, Bahrein, Dia 1:

1P GASLYAlphaTauri RBPT1:33.902 103C5
2C SAINZFerrari1:34.359+0.45752C3
3C LECLERCFerrari1:34.531+0.62964C3
4L STROLLAston Martin Mercedes1:34.736+0.83450C4
5A ALBONWilliams Mercedes1:35.070+1.168104C4
6L NORRISMcLaren Mercedes1:35.356+1.45450C2
7V BOTTASAlfa Romeo Ferrari1:35.495+1.59366C3
8S VETTELAston Martin Mercedes1:35.706+1.80439C3
9G RUSSELLMercedes1:35.941+2.03960C3
10S PÉREZRed Bull RBPT1:35.977+2.075138C2
11L HAMILTONMercedes1:36.365+2.46362C3
12F ALONSOAlpine1:36.745+2.84324C3
13E OCONAlpine1:36.768+2.86642C2
14G ZHOUAlfa Romeo Ferrari1:37.164+3.26254C3
15P FITTIPALDIHaas Ferrari1:37.422+3.52047C2
A SINA DO PRIMEIRO VENCEDOR NA TEMPORADA DA FÓRMULA 1 (DESDE 2017)
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar