Por novas regras, Mercedes teme que sucesso em 2020 traga problemas em 2022

Vencer em 2020 e 2021 significa menos tempo no túnel de vento para o carro de 2022, o do novo regulamento. Isso já deixa a Mercedes atenta a possíveis problemas no futuro próximo

A Mercedes começa a temporada 2020 da Fórmula 1 como favorita, já tendo apresentado ritmo forte nos testes de Barcelona. É uma boa notícia no curto prazo, mas nem tanto no longo. O diretor-técnico James Allison fez um alerta: com o novo regulamento da F1 determinando menos tempo de túnel de vento para as equipes com melhor performance, é possível que a equipe prateada fique em posição delicada para 2022, ano de profundas mudanças técnicas na categoria.

“Em 2021, vamos correr com carros que estão essencialmente congelados, sendo os mesmos de 2020”, começou Allison, entrevistado no podcast F1 Nation. “Nosso trabalho em 2021 vai ser a preparação de uma nova geração de carros para 2022, o que significa que a grande maioria dos investimentos de aerodinâmica de 2021 vai ser só para a temporada seguinte, em 2022. Só que as mudanças aerodinâmicas que você pode fazer para 2022 vão ser determinadas por quão bem você foi em 2020”, seguiu.

Vencer muito pode ter consequências negativas para a Mercedes (Foto: Mercedes)

Allison faz referência ao fato de que, caso a Mercedes confirme expectativas e tenha um carro vencedor para 2020, e consequentemente para 2021, serão duas temporadas consecutivas com menos tempo para corrigir problemas aerodinâmicos no túnel de vento. A F1 determinou que a equipe campeã terá 90 horas para isso, enquanto a última colocada no Mundial fica com 112 horas disponíveis. Não parece uma diferença enorme, mas é suficiente para deixar a equipe prateada preocupada.

“Nós teremos um carro [de 2022] que é essencialmente uma folha de papel em branco, que não tem nada a ver com a geração atual. Sua sorte é, de certa forma, determinada por quão forte você esteve em 2020, duas temporada antes. É um sistema que funciona atrasado. Diria que faz parte do desafio, mas talvez o tamanho dessa incerteza não seja tão óbvia em primeira análise”, refletiu.

A limitação do uso do túnel de vento é apenas uma das diversas mudanças na F1 para o futuro imediato. A outra grande novidade é o teto orçamentário, que passou anos na mesa de debate antes de ser oficializado em maio.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube