Por título, Verstappen e Hamilton pedem atualizações e melhorias até fim da temporada

Max Verstappen sente que a Mercedes tem o melhor ritmo na temporada, ao passo que Lewis Hamilton enxerga a Red Bull à frente na briga pelo Mundial

Nicholas Latifi bateu forte no fim do Q2 (Vídeo: Reprodução/TV)

A temporada 2021 pode ser considerada um ano atípico na história recente da Fórmula 1. Afinal, depois de alguns anos, duas equipes lutam pelo título mundial ponto a ponto. Em meio à ferrenha disputa que se desenha entre Max Verstappen e Lewis Hamilton, e Red Bull contra a dominante Mercedes, os rivais convergem apenas na hora de deixar o favoritismo nas mãos do adversário e solicitar mais desenvolvimento dos carros.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Na esteira da vitória no GP da Holanda, Verstappen, que com o triunfo reassumiu a liderança do campeonato, logo tratou de descartar o favoritismo e apontou que a Mercedes possui, sim, uma vantagem em relação à Red Bull. Como base argumentativa, o holandês relembrou os GPs da Inglaterra e da Hungria, onde viu a rival em um nível bem superior.

“Eles anotaram a pole-position em Silverstone, mesmo que ela não tenha contado como tal. Estiveram à frente na Hungria, onde tinham mais ritmo do que nós, foram bem melhores. Mas é claro que na Hungria a corrida foi maluca, tudo aconteceu com a pista molhada e a largada”, relembrou Verstappen.

Max Verstappen e Lewis Hamilton antes do GP da Holanda em Zandvoort (Foto: Beto Issa)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Apesar de estar à frente de Hamilton nas estatísticas da temporada, onde soma sete vitórias contra quatro do britânico, Verstappen chama atenção para o ritmo apresentado na temporada. Por conta disso, o holandês solicita que a Red Bull siga atualizando o RBR16B.

“Creio que não devemos nos apegar às estatísticas. Devemos analisar o ritmo realístico, onde ele foi apresentado, sem olhar sempre para o resultado da corrida, já que tenho certeza que eles venceriam na Hungria se tudo tivesse ocorrido normalmente”, seguiu.

“Sempre pensei que na pausa de verão tínhamos que melhorar as coisas por aqui, se não íamos ficar bem para trás. E acho que conseguimos um pouco. Ainda sinto que precisamos de um pouco mais, mas estamos no caminho certo. Mas ainda temos de aguardar, ainda teremos muitas pistas diferentes pela frente. Isso irá auxiliar ambos os lados. Então vamos continuar nos esforçando e atualizando o carro”, analisou o holandês de 23 anos.

Em um tom parecido, Hamilton descartou favoritismo e reiterou que a Mercedes segue dando o máximo para se equiparar à rival taurina. Apesar de reconhecer que em alguns momentos a equipe de Brackley esteve à frente, o heptacampeão mundial pregou uma igualdade entre as escuderias. 

“Estou dando meu máximo. Estamos dando o máximo desde a primeira corrida, já que esses caras [Red Bull] têm um carro muito forte este ano. Tentamos da melhor maneira possível. Tivemos algumas corridas onde os encaramos de frente. Em outras, fomos superiores. Em outras, eles foram melhores, essas foram complicadas”, afirmou Hamilton.

Por fim, apesar de ter sofrido o revés de perder a ponta do Mundial de Pilotos, Hamilton comemorou o fato de ver a Mercedes à frente na disputa entre os construtores e projetou uma melhora para possibilitar mais vitórias no ano;

“Acho que está tudo muito parelho. Em muitos destes lugares é difícil de ultrapassar, já que estamos muito parelhos. Não há muito o que dizer. Temos que manter a cabeça erguida, continuar trabalhando. Estamos à frente no Mundial de Construtores, o que é fantástico. Mas é claro que precisaremos de mais velocidade para vencer corridas no futuro”, concluiu o heptacampeão.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar