Promotor do GP da Rússia fica satisfeito com “data muito melhor” em maio de 2016: “Esperamos que siga assim”

Diferente do que vem ocorrendo usualmente há tempos, em 2016 será o GP da Rússia, e não o GP da Espanha, o evento que vai abrir a temporada europeia da F1. Num calendário muito mais apertado e cheio, com 21 corridas, a prova em Sochi no ano que vem está marcada para 1º de maio

Uma das mais significativas mudanças evidenciadas no calendário provisório da temporada 2016 da F1 é, além da ampliação do número de corridas para 21, a alocação do GP da Rússia, que passou de outubro para maio. Assim, a corrida disputada no Parque Olímpico de Sochi no ano que vem está marcada para 1º de maio, em plena primavera russa, abrindo a temporada europeia do Mundial uma semana depois da disputa do GP do Bahrein.

Na verdade, a mudança de datas já era um desejo antigo do promotor do GP da Rússia, Sergey Vorobyev. Em entrevista ao site da revista britânica ‘Autosport’, o organizador entende que a alteração será importante, sobretudo pelo lado turístico e comercial.

O GP da Rússia vai abrir a fase europeia do Mundial de F1 em 2016 (Foto: AP)

“Esta nova data é muito melhor para nós. Na verdade, já vínhamos discutindo sobre a opção de ter a data em maio já para este ano. Infelizmente, não deu certo, mas estamos felizes que agora conseguimos para 2016, e esperamos que siga assim nos próximos anos”, declarou o empresário russo, que justificou.

“A principal razão para isso é o 1º de maio representa o início de uma temporada de nove ou dez dias de feriado na Rússia. Além disso, até o meio de maio, ainda é a temporada de esqui, de modo que as pessoas vão conseguir combinar a F1 com o esqui, e isso vai ser muito mais atraente.”

Vorobyev deixou claro que não tem qualquer tipo de preocupação quanto à logística que compreenderá o transporte dos equipamentos da F1 do Bahrein para a Rússia e usou o exemplo do ano passado, quando o GP em Sochi aconteceu uma semana depois da etapa de Suzuka, no Japão.

“Tivemos de fazer isso no ano passado com a FOM e nossos parceiros, quando estivemos imediatamente depois do Japão. Então, foi um pouco mais complicado porque houve um atraso no transporte dos equipamentos na saída do Japão devido ao tufão. Então, se isso foi bem administrado no primeiro ano, não vejo como um problema para o ano que vem”, explicou.

Mas antes de abrir a fase europeia do Mundial de F1 em 2016, ainda há a edição deste ano pela frente. Contudo, até o momento, a procura por ingressos para o GP da Rússia, marcado para 11 de outubro, não é das mais animadoras, mas Vorobyev reforça confiança em ter as arquibancadas lotadas no Parque Olímpico de Sochi.

“As vendas de ingressos estão um pouco mais lentas em comparação com o mesmo período do ano passado, mas chegamos perto de 60% de todos os ingressos vendidos. Agora estamos começando a fazer um pouco mais de marketing, propagandas na TV, outdoors, e temos certeza de que teremos casa cheia para a corrida”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube