Quase 0s5 atrás do companheiro, Nasr admite erro, mas reclama de velocidade “muito abaixo” nas retas de Monza

Felipe Nasr vai largar na 13ª posição do grid na Itália e teve de aturar a ida de seu companheiro Marcus Ericsson ao Q3. Tomando tempo do sueco, o brasileiro admitiu que errou em sua volta final na classificação, mas não deixou de reclamar do carro da Sauber

Felipe Nasr vinha marcando território na 11ª posição, onde ficou nos três treinos livres na Itália, e é lá que vai acabar largando neste GP da Itália. O brasileiro havia conseguido o 12º lugar na pista, mas acabou beneficiado pela punição a seu companheiro, Marcus Ericsson, dada tempo depois pelos comissários.

No Q1, Felipe mostrou que o circuito italiano realmente é melhor para a Sauber que os últimos. Para um time que anda sempre tendo ao menos um carro excluído no Q1, foi ótimo. Nasr passou em oitavo, com Ericsson em nono.

Felipe Nasr (Foto: AP)
Já no Q2, no entanto, Nasr ficou pelo caminho. O que chamou a atenção foi a diferença para Ericsson. Quase 0s5 mais lento que o companheiro, Nasr pediu para que a Sauber encontre onde está a discrepância de velocidade.

"Eu senti que mesmo no Q2 na primeira tentativa foi uma volta boa, eu dei uma boa volta, mas que não estava tão bem. A única coisa que tem que investigar é que estou muito abaixo se comparado com o outro carro, estou perdendo muito tempo. Mas mesmo assim é uma boa posição para a corrida de amanhã, e acho que podemos fazer uma boa prova", disse em entrevista à TV Globo.,


O GP da Itália acontece às 9h (de Brasília) deste domingo, e o GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e EM TEMPO REAL.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube