Räikkönen diz que Alfa Romeo sabia de problema na asa, mas que “não teve tempo para produzir uma nova”

A Alfa Romeo foi a Baku consciente de que a asa dianteira corria o risco de sofrer uma quebra que a tornaria ilegal – justamente o que aconteceu com Kimi Räikkönen, forçado a largar do pit-lane antes de cruzar a linha de chegada em décimo

O GP do Azerbaijão de Kimi Räikkönen sofreu um baque após a exclusão do treino classificatório e a necessidade de largar do pit-lane neste domingo (28). A Alfa Romeo do finlandês tinha uma asa dianteira irregular, que flexionava além do permitido. De acordo com Kimi, o problema já era conhecido e é fruto de uma falha que ainda não pôde ser corrigida.
 
Räikkönen acredita que a asa dianteira passou a flexionar demais após a quebra de um componente – algo que já tinha sido identificado na China.
 
“Não sei o que aconteceu, só me mandaram uma mensagem hoje de manhã”, disse Räikkönen, sobre a punição. “Corrida passada nós tivemos um problema nas últimas voltas, com uma peça da asa dianteira quebrando e a gente perdendo downforce. Infelizmente algo semelhante deve ter causado isso”, seguiu.
Kimi Räikkönen (Foto: Alfa Romeo)

“A gente já sabia do problema antes da última corrida, mas não tivemos tempo para produzir uma nova e foi isso que aconteceu. Certamente não é algo que nos tornaria mais rápido, mas é assim que as coisas são. Espero que assim as coisas sejam justas para todos”, continuou.

 
Cumprindo a punição de largar do pit-lane, Räikkönen teve uma corrida de recuperação pela frente. O finlandês recuperou terreno e cruzou a linha de chegada em décimo, sendo o único dos três que não alinharam no grid – Pierre Gasly e Robert Kubica também – a deixar Baku com pontos.
 
O GP do Azerbaijão teve vitória de Valtteri Bottas, que assume a liderança do Mundial de Pilotos.

#GALERIA(9737)
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar