F1

Räikkönen estraga festa da Ferrari e lidera manhã do terceiro dia de testes em Barcelona. Fittipaldi é 6º

O monopólio de lideranças da Ferrari na pré-temporada da Fórmula 1 acabou. Kimi Räikkönen calçou os pneus C4, segundo mais macio, na última hora da manhã e conseguiu o tempo de 1min17s762. Sebastian Vettel foi segundo, enquanto Valtteri Bottas foi último

Grande Prêmio, de Barcelona / VITOR FAZIO, de Barcelona
A Ferrari pode ter liderado o primeiro e o segundo dia de testes, mas a história do terceiro começou diferente. Kimi Räikkönen, ainda engatinhando na relação com a Alfa Romeo, conseguiu o inesperado tempo de 1min17s762 na manhã desta terça-feira (20). A volta, mais rápida da pré-temporada até aqui, foi uma das 64 que o finlandês acumulou ao longo de quatro horas de sessão.
 
Räikkönen fez a volta com pneus C4, o segundo mais macio dentre os cinco disponibilizados pela Pirelli em Barcelona. O composto não foi tão usado por equipes, que priorizaram os C2 e C3, mais duros. Foi o caso de Sebastian Vettel, segundo colocado com o tempo de 1min18s350, 0s6 mais lento que o ex-companheiro Räikkönen.
 
O top-3 teve outra surpresa – Nico Hülkenberg, que finalmente teve autorização da Renault para acelerar um pouco mais. Após dias com tempos pouco competitivos, o alemão calçou os C4 para alcançar o tempo de 1min18s800, 1s pior que o de Räikkönen. O top-5 ainda teve Max Verstappen em quarto e Daniil Kvyat em quinto.
Kimi Räikkönen conseguiu o melhor tempo da pré-temporada (Foto: AFP)
Para Fittipaldi, sexto, a manhã foi produtiva. O brasileiro alcançou a marca de 48 voltas, aliadas às 13 nas horas finais de atividade na terça-feira. Mesmo assim, não foi uma manhã 100% tranquila para a Haas: o VF-19 voltou a quebrar na pista, sendo recolhido aos boxes de caminhão. A boa notícia é que o problema foi elétrico, sendo rapidamente solucionado nos boxes.
 
A tabela de tempos ainda teve Carlos Sainz Jr. em sétimo, Sergio Pérez em oitavo e Valtteri Bottas em nono. A Mercedes teve o tempo de 1min20s693, quase 3s pior que Räikkönen. O destaque da equipe alemã é o total de 88 voltas, melhor da manhã.

Quem voltou a não andar foi a Williams. A equipe finalmente trouxe o FW42 a Barcelona e tem a expectativa de somar voltas durante a tarde. Na manhã, o trabalho foi de bastidores, terminando de aprontar o novo bólido.

Saiba como foi a manhã do terceiro dia de testes da F1 em Barcelona

O dia começou com cinco carros deixando os boxes praticamente de imediato. Contrariando tendências, já que o clima frio e nublado da manhã catalã não costuma trazer dados muito produtivos, pilotos como Valtteri Bottas e Pietro Fittipaldi começaram a somar voltas respectivamente para Mercedes e Haas. O brasileiro inclusive chegou a liderar a tabela de tempos, mesmo que sem marcas muito competitivas.
 
Pouco a pouco, outros pilotos começaram a se aventurar. Destaque para Vettel, que não tardou em tomar a liderança com o tempo de 1min20s877. A prova de que não era um tempo tão competitivo logo viria: Sergio Pérez não teve dificuldades para registrar 1min20s666 e virar o primeiro. Kimi Räikkönen, de Alfa Romeo, chegaria aos 1min19s989, sendo o primeiro no dia a aparecer abaixo de 1min20s. Até aqui, as voltas eram todas anotadas com pneus C2 e C3, semelhantes aos médios e macios.
O jogo virou e Sebastian Vettel não liderou (Foto: Ferrari)
Räikkönen não seria capaz de se manter líder por muito tempo. Vettel, que vinha focando mais em somar quilometragem após alguns tempos mais rápidos, voltou a pisar fundo e anotou 1min19s350. Os dois pilotos, aliás, vinham empatados em 19 voltas na primeira hora de atividade. Ainda era cedo no dia, mas já eram os melhores números no quesito.
 
Os primeiros 60 minutos, aliás, tiveram oito equipes na pista. Só duas se ausentavam: a Williams, que só trouxe o carro novo na madrugada desta quarta-feira e só te previsão de somar voltas durante a tarde, e a McLaren, que por algum motivo ainda não colocava Carlos Sainz Jr. na pista.
 
Os minutos corriam e pouco mudava. A primeira metade da manhã se completou com a seguinte ordem: Vettel, Räikkönen, Pérez, Fittipaldi – que recém havia melhorado –, Verstappen, Bottas, Hülkenberg e Kvyat, o lanterninha. O russo, seguindo um planejamento conservador da Toro Rosso, aparecia 4s7 mais lento que Sebastian.
 
A segunda hora de atividades começou com uma McLaren finalmente deixando a garagem. Depois da solução de problemas de câmbio, Sainz pôde começar a fazer voltas de instalação. Na primeira rápida para valer, o espanhol subiu para quinto com 1min19s725. Mesmo assim, a equipe britânica certamente iria lamentar ter apenas 10% do total de voltas que rivais como a Ferrari já tinham.
Nico Hülkenberg, terceiro melhor(Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Enquanto isso, a Renault finalmente ousava acelerar um pouco mais. Depois de dois dias figurando na rabeira da tabela de tempos, Hülkenberg conseguiu o tempo de 1min18s800. A marca era apenas 0s5 pior que a de Vettel.
 
Depois, a bandeira vermelha foi acionada pela primeira vez no dia. A Haas de Fittipaldi quebrou na aproximação da curva 9, sendo traída por problemas mecânicos. Não foi o melhor desfecho para uma sessão produtiva, com 41 voltas somadas.

A paralisação durou 10 minutos, tempo necessário para resgatar a Haas #51. Com a bandeira verde, a maior parte dos pilotos optou por vir à pista. A maioria queria somar quilometragem, mas a McLaren queria mesmo era subir na tabela de tempos. Sainz começou a pisar fundo e apareceu em quarto, 1s2 atrás de Vettel.
 
O alemão, aliás, mantinha a Ferrari como equipe com mais voltas acumuladas. Eram 63, sem qualquer problema. O segundo melhor, Bottas, estava com 55. Hülkenberg também tinha o honrável número de 52, enquanto Räikkönen somava 49.
 
Com 40 minutos restando para o fim da sessão, a Haas voltou à pista. O problema do VF-19 se mostrou de fácil solução, permitindo que Fittipaldi levasse o total de voltas para além de 41. E não só isso: forçando o carro, o brasileiro conseguiu o tempo de 1min19s249, subindo para quarto na tabela de tempos.
 
Mas isso não era nada perto do que Räikkönen faria pouco depois. Com pneus C4, equivalentes aos supermacios, o finlandês se tornou o primeiro a entrar na casa de 1min17s. Com 1min17s762, Kimi abriu 0s6 de vantagem sobre Vettel em tempos de volta.

F1 2019, Barcelona, pré-temporada, dia 3, manhã:

1 K RÄIKKÖNEN Alfa Romeo Ferrari 1:17.762   64
2 S VETTEL Ferrari 1:18.350 +0.588 80
3 N HÜLKENBERG Renault 1:18.800 +1.038 63
4 D KVYAT Toro Rosso Honda 1:18.897 +1.135 47
5 M VERSTAPPEN Red Bull Honda 1:18.899 +1.137 33
6 P FITTIPALDI Haas Ferrari 1:19.249 +1.487 48
7 C SAINZ McLaren Renault 1:19.354 +1.592 27
8 S PÉREZ Racing Point Mercedes 1:20.102 +2.340 43
9 V BOTTAS Mercedes 1:20.693 +2.931 88