Räikkönen revela plano para ficar na Ferrari: “Fazer o melhor”. E se não for o bastante? “Então não é o bastante”

Kimi Räikkönen sabe que sua situação na Ferrari para além de 2015 não é confortável no momento. Com iminente perigo de perder o emprego, ele não está tão preocupado assim. Para ficar em Maranello, fará seu melhor. Se mesmo assim a Ferrari quiser seguir em frente sem ele, então paciência

É um tempo de conturbações para Kimi Räikkönen – ao menos para quem olha de fora. Na tranquilidade sempre demonstrada na carreira, o campeão mundial de 2007 segue mesmo sob a pressão de ser forçado para fora da Ferrari ao fim do ano. O chefe Maurizio Arrivabene já mostrou descontentamento, mas a personalidade de Kimi quase que o impede de se preocupar muito.
 
Em entrevista à ESPN inglesa, Räikkönen afirmou que não está pensando muito em 2016 no momento. Para convencer Arrivabene de que é o homem certo para o trabalho de continuar na trilha de perseguição à Mercedes, vai fazer o melhor que for possível. E se não der? Então não deu.
 
"Eu vou fazer meu melhor, e se não for o bastante, não foi. Não estamos longe de onde podemos ter felicidade máxima, mas obviamente não é o bastante para nós. Queremos ganhar corridas, mas infelizmente não estamos nessa posição nem que seja uma prova em linha reta. Temos de continuar trabalhando. Não estou preocupado com o próximo ano, se acontecer, aconteceu, senão, posso dizer que estou feliz com o time e todo mundo está trabalhando na direção certa. Mas ainda há muito a fazer para ficarmos 100% felizes como time e pessoalmente. O tempo vai dizer", falou.
Kimi Räikkönen vai fazer o melhor (Foto: AP)
Sobre se acha que permanece, Kimi voltou a dizer que não está em suas mãos e se não acontecer, paciência. Mas reafirmou que o time está trabalhando da forma correta, e quer fazer parte do futuro.
 
"A resposta está com a equipe, não está em minhas mãos. Claro que eles querem mais sempre e não tem sido ideal, mas progredimos o tempo todo. Como time, demos grandes passos à frente de onde estávamos ano passado. Estou certo de que demos um passo maior que os outros times, mas obviamente não é o bastante em relação a onde queremos chegar, mas não é fácil e precisa de tempo", avaliou.
 
"Continuamos indo na direção certa, e o pessoal do time não está gostando de ser segundo e terceiro. Queremos consistentemente poder ganhar cada corrida. Mas contanto que continuemos a fazer o mesmo e ir na mesma direção, estou certo que chegaremos. Mas não podemos fazer milagres nos próximos meses", continuou.
 
No momento, Kimi tem 76 no Mundial de F1 em 2015 e é o quinto colocado, atrás dos pilotos da Mercedes, do companheiro Sebastian Vettel e até de Valtteri Bottas, um dos maiores cotados para assumir seu lugar em Maranello no futuro.
 
A F1 volta à ação neste final de semana, em Hungaroring, e o GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades AO VIVO e EM TEMPO REAL.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube