Red Bull prevê 2020 como “ano com mais gastos na história” da F1

Na visão de Christian Horner, a introdução do teto orçamentário precisava acontecer um ano antes da entrada do novo regulamento. Chefe da Red Bull prevê 2020 com o ano com maiores gastos na história da Fórmula 1, e já tem dois times trabalhando no processo de pesquisa e desenvolvimento

Última temporada antes da grande mudança de regulamento prevista, 2020 deve ser o ano com os maiores gastos da história da Fórmula 1, afirmou Christian Horner, chefe de equipe da Red Bull.
 
2021 marca uma nova era na F1, com diversas mudanças, e entre elas, a introdução de um teto orçamentário. Porém, na visão de Horner, a entrada do limite de gastos com o novo regulamento significa que os times gastarão de forma mais ampla em 2020, mesmo sem os testes com túneis de vento.
 
"Você tem uma quantidade de dinheiro irrestrita e incontrolável para gastar em pesquisas e desenvolvimento em várias áreas. Para mim, é o que disse antes: seria melhor introduzir o teto antes e o regulamento um ano depois, porque seguraria a quantidade de gastos. O próximo ano parece o mais caro da nossa história", disse Horner em entrevista ao site ‘Motorsport.com’.
Max Verstappen (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Terceira colocada no Mundial de Construtores e com duas vitórias em 2019, a Red Bull tem dois times trabalhando nas áreas de pesquisa e desenvolvimento. Uma para a temporada 2020, e a outra com as mudanças previstas para 2021.
 
"Agora que o regulamento de 2021 está claro, temos um time começando a entender o regulamento. E isso torna um ano bem caro porque estamos desenvolvendo em dois regulamentos diferentes, e antes do teto orçamentário entrar. 2020 será um ano caro e movimentado, dentro e fora da pista", completou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube