F1

Renault se esquiva sobre Ocon, mas diz que futuro de Hülkenberg está em aberto

Cyril Abiteboul falou sobre a atual situação de Nico Hülkenberg na Renault. O alemão está perto de completar seu terceiro e derradeiro ano de contrato e ainda tem seu futuro indefinido. O dirigente francês se esquivou sobre Esteban Ocon, que quase assinou com o time de Enstone antes da contratação bombástica de Daniel Ricciardo no ano passado

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
Com a chegada do meio do ano, vem também a famosa ‘silly season’, a temporada dos rumores no paddock da F1. Um dos nomes que estão no último ano de contrato em 2019 é Nico Hülkenberg, que ainda tem seu futuro indefinido na Renault. Cyril Abiteboul foi perguntado a respeito da atual situação do piloto alemão e também despistou sobre potenciais substitutos de Nico, como Esteban Ocon. O francês foi formado pelo programa de desenvolvimento da Renault, contratado pela Mercedes, mas está sem vaga no grid nesta temporada. O nome do jovem piloto vem sendo apontado no paddock como um dos candidatos à vaga de Nico na equipe aurinegra.
 
O diretor-geral da Renault ressaltou a situação atual de Ricciardo, contratado a peso de ouro no ano passado para formar uma experiente dupla ao lado de Hülkenberg. “Temos um contrato de dois anos com Daniel”.
 
Quanto a Ocon, tudo passa pela renovação da Mercedes com Valtteri Bottas. O finlandês faz uma temporada melhor em relação ao ano passado e chegou a liderar o campeonato, que agora é dominado por Lewis Hamilton. Entretanto, Esteban chegou a negociar com a Renault no ano passado e acabou sendo um dos muitos surpreendidos pela contratação de Ricciardo para 2019. Depois de ter negociado, também sem sucesso, sua ida para a McLaren, Ocon teve de se contentar com o posto de reserva de Bottas e Hamilton na Mercedes.
Nico Hülkenberg tem futuro indefinido na Renault para 2020 (Foto: Renault)
Quanto à Renault, nesta primeira parte da temporada, Ricciardo goleia Hülkenberg por 7 a 1 em classificações, com o placar ampliado neste sábado (22) em Paul Ricard. O australiano vai largar em oitavo e o alemão apenas em 13º. Nico chegou a ter uma rusga com a equipe há dois finais de semana, quando o alemão não foi autorizado a passar Ricciardo nas voltas finais do GP do Canadá, mesmo alegando estar mais rápido.
 
Em entrevista veiculada pelo site ‘F1i.com’, Abiteboul lembrou que o atual vínculo de Hülkenberg compreende uma opção de renovação. Contudo, as condições para a ampliação do contrato não foram reveladas pelo dirigente.
 
“Quanto ao contrato de Nico, o termo inicial está chegando para o fim deste ano, mas há algum mecanismo de opções, como foi comentado na coletiva de imprensa, e não vou revelar os detalhes que podem acionar este gatilho, então talvez nós continuemos nossa jornada com Nico”, disse.
 
Por um lado, Abiteboul prestigiou Hülkenberg. “Sinceramente, Nico está correspondendo à equipe, claramente e, se você olhar para onde nós estávamos quando Fred [Vasseur] estava liderando esse processo para nós... Nico se uniu a nós, e veja onde estamos hoje. É loucura mudar a equipe pelo agito. Claramente os pilotos não são alheios a isso, não são meros engenheiros”, explicou.
 
Por outro, mandou um recado ao piloto: a Renault observa, sim, o mercado, e não descarta uma troca de pilotos para 2020. “Então acho que nós devemos dar o crédito, mas também precisamos analisar as opções, ver o que todo mundo está fazendo, como eu tenho certeza que Nico está fazendo”.
 
Sem dar maiores detalhes, o chefe da Renault avisou que a decisão sobre Hülkenberg vai ser tomada em agosto, mesmo período em que a equipe surpreendeu o mundo do esporte com a decisão da contratação de Ricciardo. O dirigente se esquivou ao falar diretamente sobre Ocon, mas lembrou que tudo está aberto.
 
“É uma longa resposta para te dizer que as coisas estão abertas para ele e para nós, mas há também uma opção para que possamos continuar nossa jornada juntos. Vamos ver, vamos ver provavelmente depois das férias de verão, que vai ser a hora certa para sentar, discutir com base no fato e vontade também”, concluiu.
 

Paddockast #22
O que torna uma corrida de qualquer categoria legal? E chata?




Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.