Reserva da Mercedes, Wehrlein considera seguir no DTM ou correr na GP2 se ficar de fora da F1 em 2016

Enquanto aguarda uma definição sobre seu futuro, o campeão do DTM em 2015 vai testar com a Mercedes no próximo 1º de dezembro, em sessão privada promovida pela Pirelli em Abu Dhabi. Mas depois, Pascal Wehrlein vai discutir as possibilidades para se manter em atividade em 2016. Se não tiver chances na F1, o alemão não descartou continuar no DTM ou mesmo mudar para a GP2

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Quando a Manor e a Mercedes anunciaram uma parceria que envolve o fornecimento do melhor motor da F1 para a pior equipe do grid, muito se falou sobre a possibilidade do reserva da equipe alemã, Pascal Wehrlein, assumir o posto de titular do time britânico em 2016. Contudo, a crise pela qual atravessa a Manor, que vai ter de lidar com a saída dos seus principais dirigentes, colocou em xeque a chance de o campeão do DTM fazer sua estreia na F1. De modo que Wehrlein, para se manter em atividade, até considera continuar no Campeonato Alemão de Turismo ou talvez até mudar para a GP2.
 
Em entrevista ao site ‘F1i.com’, Wehrlein reconheceu que suas parcas chances de correr na F1 em 2016 se resumem à Manor, uma vez que as outras equipes do grid já têm praticamente suas respectivas duplas completas. Assim, o talentoso alemão procura alternativas enquanto não aparece a tão sonhada vaga na principal categoria do automobilismo mundial.
Campeão mais jovem do DTM, Wehrlein pode ter de esperar mais para virar titular na F1 (Foto: DTM)
“No fim das contas, é uma decisão minha, mas há poucas opções, então temos de sentar juntos e decidir qual é a melhor. A mais evidente é uma vaga em um carro de F1, mas não está muito claro sobre qual equipe poderia ser, mas, se não tiver chance, há algumas outras opções: DTM, piloto reserva, talvez mais corridas, GP2…”, afirmou.
 
“O principal problema é que não há muitas opções na F1. Por exemplo, a GP2 seria boa porque estaria viajando para as corridas junto com a equipe na F1, estaria aprendendo as pistas e voltaria a um monoposto, mas também o DTM é muito bom e ficaria contente em fazê-lo novamente, de modo que é uma decisão muito difícil”, complementou o piloto alemão.
 
Contudo, Wehrlein garantiu que vê com bons olhos a ida para a Manor, sobretudo agora que a equipe inglesa vai contar com a parceria da Mercedes. “Se a chance de correr com a Manor estiver aberta, é claro que vou pra cima, já que fui piloto da Mercedes por mais de um ano e agora a Manor vai contar com os motores Mercedes”, finalizou Pascal.
 
Pela Mercedes, Wehrlein vai participar da sessão privada de testes promovida pela Pirelli para desenvolver os pneus da próxima temporada. O alemão vai acelerar em Abu Dhabi em uma extensa sessão de 12 horas, entre 9h e 21h, no dia 1º de dezembro.

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Sobre o motor alternativo na F1 em 2017: não vai rolarhttp://grandepremio.uol.com.br/f1/noticias/com-veto-das-montadoras-grupo-de-estrategia-rejeita-proposta-de-motor-alternativo-para-f1-em-2017-diz-revista

Posted by Grande Prêmio on Quarta, 25 de novembro de 2015

PADDOCK GP EDIÇÃO #8: ASSISTA JÁ

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube