Ricciardo exalta método de trabalho de Vettel e diz: “Aprendi muito com ele em 2014”

Daniel Ricciardo superou Sebastian Vettel em seu primeiro ano de Red Bull, mas tirou também muitas lições, especialmente no relacionamento com a equipe

A temporada 2014 da Fórmula 1 foi marcada, entre outras coisas, pela derrota de Sebastian Vettel para Daniel Ricciardo, que estreava na Red Bull. Então tetracampeão consecutivo da categoria, o alemão fez 71 pontos a menos que o jovem australiano, que ainda venceu três corridas contra nenhuma de Seb. No entanto, anos depois, Ricciardo garante que o maior triunfo que teve naquele campeonato foi o aprendizado com o companheiro.

Ricciardo chegou da Toro Rosso para substituir o compatriota Mark Webber, que havia sido sistematicamente superado por Vettel nos anos anteriores. Segundo Daniel, o primeiro ponto positivo foi ter conseguido se inserir em um contexto que era todo de Sebastian, pelos títulos já conquistados.

“Ele tinha muita experiência e era o cara a ser batido. Foi um desafio enorme porque foi a equipe que ele construiu ao redor dele. Eu adorei a pressão que aquilo me colocou. Aprendi muito com ele e me diverti muito quando percebi que podia competir com ele, que conseguia chegar ao nível dele”, disse ao site F1-Insider.com.

Sebastian Vettel e Daniel Ricciardo se deram bem juntos (Foto: Christian Walgram/GEPA pictures/Red Bull Content Pool)

Atualmente na Renault, Ricciardo valorizou a forma como Vettel sabia tocar a equipe, de modo que toda crítica que era feita tinha um objetivo claro de fazer o time evoluir rapidamente. Segundo Daniel, foi ali que entendeu como deveria trabalhar nos anos seguintes.

“Ele não se divertiu tanto naquele ano, mas eu aprendi muito para a minha carreira. O jeito que ele trabalhava era especial, aquele jeito alemão, extremamente focado, pensava em todos os detalhes. Às vezes eu ficava chocado com a forma que ele trazia os problemas, mas eu aprendi rapidamente que só daquele jeito funcionaria. Gostava do jeito que ele se impunha”, seguiu.

O australiano não entende que tenha sido o causador da saída de Vettel da Red Bull. Para Daniel, Seb teria optado pela Ferrari de qualquer jeito, já que estava atrás de novos desafios e já havia vencido tudo e mais um pouco pelo time austríaco.

“Ele sempre quer vencer, quer ser mais rápido que o outro e provavelmente estava mal com aquela situação, mas sempre me mostrou muito respeito. Nunca tivemos qualquer jogo mental. Ele me parabenizava pelo meu trabalho, sempre foi justo e aceitou a derrota, mas sempre também buscou um jeito de melhorar, acho que isso explica como dominou a F1 tanto tempo. Fiquei orgulhoso com o trabalho que fiz, mas também um pouco triste quando ele saiu, adoraria mais uma temporada e sabia que seria mais difícil. Mas não acho que ele tenha saído por minha causa, só precisava de novos desafios”, completou.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube