Rosberg exalta “muitas variáveis” abertas com novos procedimentos de largada da F1 e avalia: “Mais difícil e animador”

Nico Rosberg e Lewis Hamilton parecem ter gostado da mudança dos procedimentos de largada da F1 - que já vale para o próximo GP da Bélgica. Segundo ambos, a colocação de maior controle sobre a largada nas mãos do piloto abrem espaço para mais erros

Os dois candidatos reais ao título da F1 em 2014 e 2015, Nico Rosberg e Lewis Hamilton, creem que a mudança nos procedimentos de largada do Mundial vão fazer com que as coisas acabem se misturando e mexendo um pouco na ordem durante as situações de saída.
 
Com a mudança, os pilotos passam a ter maior controle do carro para largar, já que as equipes não vão poder dar indicações via rádio.
 
"É bom. Vai ser mais difícil e animador, vai estar mais ainda em nossas mãos. Isso vai lançar muitas variáveis e será bem mais difícil prever os resultados das largadas. Tudo bom", falou Rosberg.
Nico Rosberg (Foto: AP)
Já Hamilton, embora comece dizendo que não existem diferenças de sistema com a mudança, reconhece que haverá um espaço muito maior para que se cometam erros e deslizes.
 
"Não faz grande diferença. Ainda temos a mesma responsabilidade, então não muda muito. Mas quando você inicia, o time calcula quanta aderência existe e quanto torque o motor está tendo. Então, se você tem muito torque, você vai. Se não tem, então é o pneu não roda tanto e é uma saída mais lenta", disse.
 
"O time pode te dizer para aumentar ou diminuir o torque. Agora não pode mais, e nós mesmos não podemos aumentar ou diminuir o torque. Vai haver uma diferença grande entre a primeira largada e a real largada que vai fazer com que muita gente tenha inícios ruins", seguiu.
 
As mudanças já passam a valer para o final de semana do GP da Bélgica.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube