F1

Sainz diz que 'Drive to Survive' mostra que pilotos devem falar mais, mas revela reclamações por “pouco espaço”

A série 'Drive to Survive', da Netflix, focou em algumas histórias da F1 em 2018 - mas não em todos os pilotos, o que causou reclamações no paddocks, revelou Carlos Sainz (personagem principal de um episódio). Mas, para o espanhol, o programa mostrou, também, que os astros do espetáculo devem ser mais livres para falar o que pensam

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Paddockast #12: Quem sobreviveu a 'Drive to Survive'?



 Ouça no Spotify
 Ouça no iTunes
 Ouça no Android
 Ouça no playerFM

A série 'Drive to Survive' trouxe os bastidores da F1 em 2018 para a Netflix. Carlos Sainz, por exemplo, foi um dos personagens que mais apareceu no programa, sendo o arco principal de um dos episódios. Mas o espanhol revelou que nem todos os pilotos ficaram satisfeitos com a quantidade de tempo de tela que ganharam.

Sainz comentou em entrevista ao 'Motorsport' sobre como foi receber as câmeras da série em sua casa (foi filmado assistindo a um jogo do Real Madrid com seu pai e com seu empresário) e citou como tal situação exemplifica pelo que passaram os pilotos, que passaram muito tempo com a produção do programa por perto - e que alguns ficaram insatisfeitos por não terem aparecido muito, apesar disso.

"Foi difícil, porque não sabíamos o quanto apareceria de tudo isso. A gente estava fazendo sem saber o quanto apareceria, o quanto estaria na Netflix. Acabou que eu ganhei um episódio só para mim, o que foi bom", disse.

"Mas ouvi que muitos pilotos tiveram reclamações, que eles passaram muito tempo com a Netflix e não apareceram muito na série. Provavelmente é algo que precisa ser observado. E também, para os pilotos, é muito tempo em frente às câmeras sme nossos contratos falarem sobre isso. Então é algo que precisa estar mais claro em nossos contratos", opinou.
Carlos Sainz (Foto: McLaren)
Por outro lado, Sainz considera que a série mostrou que os pilotos devem ser mais livres para falar o que pensam, apesar do dinheiro dos patrocinadores e dos compromissos que têm com as equipes.

"Hoje em dia precisamos ser muito cautelosos com o que dizemos na TV. Há muito dinheiro e muitos patrocinadores envolvidos, então você precisa tomar cuidado com o que diz, com os comentários que faz."

"Acho que a Netflix foi uma boa maneira de nos mostrarmos em frente às câmeras, mas fora do ambiente da F1, mostrar ocmo você é na realidade. Se as pessoas gostarem, perfeito. Se não, azar. Mas esse sou eu", finalizou o piloto da McLaren.

'Drive to Survive' é uma série documental, dividida em 10 episódios, que conta a F1 em 2018 por meio de histórias de pilotos e equipes - sem a participação de Ferrari e Mercedes.