Sainz festeja aprendizado e “grande ano” para dupla da Toro Rosso. E busca “fechar em alta” temporada de estreia na F1

Em que pese os abandonos e seguidos problemas mecânicos enfrentados ao longo do campeonato, Carlos Sainz Jr. está bastante satisfeito não apenas com seu ano de estreia, mas também com a forma da Toro Rosso como um todo. E tudo o que o espanhol quer é se manter em ascensão para fechar 2015 da melhor forma

Carlos Sainz Jr. vem fazendo uma temporada de estreia bastante positiva na F1. Ao lado de Max Verstappen, o espanhol de 21 anos forma a dupla mais jovem da história do Mundial e vem fazendo bonito. Em que pese os problemas mecânicos e os acidentes de percurso enfrentados ao longo do caminho no campeonato, Sainz vem ganhando o respeito dos seus pares, sobretudo depois de marcar, no último GP dos Estados Unidos, seu melhor resultado na temporada, terminando em sétimo lugar.
 
Ao todo, Sainz soma 18 pontos no Mundial. É bem verdade que seu companheiro de equipe, Max Verstappen, tem mais que o dobro e tem 45, fruto, principalmente, de dois quarto lugares, em Hungaroring e Austin. Por isso, Carlos ressalta o grande ano da dupla do time de Faenza, que superou a desconfiança ao longo do campeonato. Fruto de muito trabalho e aprendizado, na visão do espanhol. Agora, sua missão é ajudar a Toro Rosso a terminar em alta a temporada.
Carlos Sainz Jr. também já está no clima do GP do México (Foto: Toro Rosso)
“Eu acho que tem sido um grande ano para nós dois. Resultados à parte, estamos aprendendo muito”, destacou o piloto nascido em Madri durante entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira (29) no México. “Da minha parte, estou curtindo bastante as últimas corridas, especialmente essas duas últimas em que larguei de trás e fui abrindo caminho”, recordou.
 
“Temos que garantir que vamos continuar aprendendo até o fim da temporada. São três corridas e é importante terminar em alta”, acrescentou Sainz.
 
Ao comentar sobre seu melhor resultado na F1, Carlos se mostrou exultante, sobretudo pelo fato de jamais antes ter guiado no Circuito das Américas. 
 
“Foi uma corrida muito mais difícil do que vocês devem imaginar, pois a minha primeira volta no seco foi na corrida, sem nenhum treino. De repente, tínhamos de mudar para os slicks. Estávamos aprendendo durante a prova. Eu sabia que não podia atacar muito, tinha que aprender a pista sem nunca ter andado no seco nela antes, e terminamos com um bom resultado”, comemorou.
 
Na esteira do sétimo lugar nos Estados Unidos, Sainz esbanja confiança para repetir ou até melhorar sua performance. “Agora mal posso esperar pelo México para continuar assim”, finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube