Schumacher carregava câmera portátil presa a capacete enquanto esquiava, afirma imprensa alemã

Meios de comunicação da Alemanha com acesso privilegiado às informações a respeito da investigação do caso afirmaram que o heptacampeão mundial tinha uma câmera presa em seu capacete no momento do acidente. As imagens, contudo, permanecem em sigilo. Filho mais velho de Michael, Mick, que esquiava com o pai, está sendo ouvido pela polícia local


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});


Michael Schumacher carregava uma câmera portátil em seu capacete no momento do grave acidente por ele sofrido enquanto esquiava na estação de Méribel, nos Alpes Franceses, no último dia 29 de dezembro. A informação surgiu na imprensa alemã.

As investigações a respeito do episódio continuam de forma intensa, porém tratadas de forma sigilosa pela polícia local. De acordo com as informações coletadas até esta sexta-feira (3), o heptacampeão mundial de F1 estava em alta velocidade e esquiava fora da área demarcada, em um trecho irregular repleto de pedras pontiagudas.

Fã na frente do hospital em Grénoble (Foto: Reuters)


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

As afirmações, contudo, seguem desconexas. Enquanto fontes próximas à investigação apontam que Michael descia em uma velocidade acima dos 100 km/h, a assessoria de imprensa do piloto informou que ele vinha em baixa velocidade, pois havia parado para socorrer um amigo que também havia caído e, no momento em que retomou a descida, sofreu a queda  portanto, estaria em baixa velocidade na hora do incidente.

 
O capacete, contudo, se partiu ao meio por conta da violência do impacto e, além de sofrer hemorragias cerebrais internas, Michael também foi vítima de um traumatismo craniano grave por bater a cabeça contra uma pedra. As imagens da câmera, de acordo com o jornal francês 'Le Dauphiné Libéré', seguem em sigilo.
 
Patrick Quincy, promotor do caso, reiterou: "A comunicação dos resultados da investigação será feita principalmente à família, antes da imprensa." Ainda de acordo com a publicação francesa, investigadores da polícia local estão neste momento no Centro Hospitalar Universitário de Grénoble, acompanhados por um intérprete, conversando com o filho de Schumacher, Mick, que esquiava junto com o pai no momento do acidente.
icon_foto As imagens da recuperação de Michael Schumacher na França
DIA 1
29/12
DOM

 
Michael Schumacher esquiava na estação de Méribel, nos Alpes, quando caiu e bateu a cabeça em uma pedra em um trecho fora da área demarcada pouco depois das 11h locais (8h de Brasília). Ele foi rapidamente resgatado e levado para um hospital em Moûtiers. De lá, foi transferido para o Centro Hospitalar Universitário de Grénoble, referência neste tipo de acidente. As primeiras informações davam conta de que Schumacher não contraíra grandes lesões, mas, no início da noite, foram confirmados traumatismo craniano grave, hemorragia cerebral e coma artificial. Piloto foi submetido a cirurgia assim que chegou ao CHU.
DIA 2
30/12
SEG
Em uma coletiva realizada pela manhã, os médicos confirmaram que a situação de Michael Schumacher é crítica. À noite, o alemão apresentou uma pequena melhora que abriu uma "janela de oportunidade" para uma segunda cirurgia. Essa operação foi para remover um hematoma que estava do lado esquerdo do cérebro.
DIA 3
31/12
TER

 
Em nova conferência de imprensa, o corpo médico do CHU de Grénoble explicou que a decisão de operar novamente o heptacampeão, por causa dos riscos, foi tomada em conjunto com a família. Porta-voz de Schumacher, Sabine Kehm revelou que um jornalista vestido de padre tentou invadir a sala de cirurgia durante o procedimento.
DIA 4
1/1
QUA

 
A virada de ano de Schumacher contou com a presença da família, que o envolveu com alguns amuletos. Do lado de fora, jornalistas e poucos fãs aguardavam por notícias em noite gelada. Pela manhã, Sabine Kehm falou no lugar dos médicos e afirmou que a condição do piloto era estável: nem melhorara, nem piorara.
DIA 5
2/1
QUI
Novamente, não aconteceu coletiva de imprensa com os médicos. A porta-voz Sabine Kehm decidiu cancelar os boletins diários "ao menos enquanto não houver mudanças".


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube