Vettel culpa dificuldade de ultrapassar por dia ruim na Holanda: “Eu tive de correr riscos”

Sebastian Vettel fez apenas número no GP da Holanda. O alemão não conseguiu ganhar posições e terminou em 13°, reclamando da dificuldade de ultrapassar em Zandvoort

Nicholas Latifi bateu forte no fim do Q2 (Vídeo: Reprodução/TV)

Sebastian Vettel teve um fim de semana tenebroso em Zandvoort. O alemão teve problemas do começo ao fim e cruzou a linha de chegada neste domingo (5) em 13°, sem nunca de fato brigar por pontos. O problema não foi tanto a falta de ritmo, mas, sim, a dificuldade de ganhar posições em uma pista de raras ultrapassagens.

“Eu tentei fazer ultrapassagens, não foi fácil”, disse Vettel. “Eu corri muitos riscos. A minha rodada não ajudou. A gente tinha ritmo, mas não conseguiu chegar a lugar algum. Não é impossível [ultrapassar], mas é difícil”, destacou.

A Aston Martin apostou em uma estratégia de duas paradas para tentar ganhar posições. Até foi possível, com Vettel desgarrando das últimas posições, mas já era tarde demais para dar a volta por cima.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Sebastian Vettel teve um dia dos piores na Holanda (Foto: Aston Martin)

“Eu sofri nos dois primeiros trechos da corrida, só no terceiro que ficou um pouco mais fácil, com um delta maior [de desempenho entre pneus]. Foi uma pena”, concluiu.

Lance Stroll acabou em 12°, o que significa que a Aston Martin nem pontuou na Holanda. A equipe fica muito atrás de Alpine e AlphaTauri no Mundial de Construtores, presa em sétimo.

A corrida em Zandvoort terminou com vitória de Max Verstappen, soberano. O holandês conseguiu lidar bem com as ameaças da Mercedes, que teve como prêmio de consolação Lewis Hamilton e Valtteri Bottas em segundo e terceiro.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar