Sem culpar Albon, Magnussen fica “frustrado” com batida: “Vinha perto do top-10”

Kevin Magnussen evitou falar muito do acidente sofrido no GP da Inglaterra, mas não escondeu a decepção por ter abandonado ainda na primeira volta. O dinamarquês acredita que tinha chances de pontuar

Kevin Magnussen era um dos bons nomes do início do GP da Inglaterra, mas perdeu tudo ainda nos metros iniciais, quando se envolveu em um acidente com Alexander Albon. Neste domingo (2), o dinamarquês largou de 14º e vinha ganhando algum terreno, até que espalhou e, quando voltou, foi tocado pelo tailandês. Albon tomou 5s pelo enrosco, mas K-Mag nem falou sobre o rival, preferiu lamentar o abandono.

A pancada sofrida pelo dinamarquês da Haas foi forte, mas Kevin saiu ileso. Só triste, afinal, não teve a chance de repetir o ponto anotado na Hungria.

“Estou bem depois do acidente, só muito frustrado. Fiz uma ótima largada, ganhei muitas posições de novo. Senti que o carro estava bom ainda no grid, avisei meus engenheiros que o carro parecia bom”, disse.

F1; FÓRMULA 1; F1 2020; KEVIN MAGNUSSEN; ALEXANDER ALBON; GP DA INGLATERRA;
Kevin Magnussen abandonou logo na primeira volta (Foto: Reprodução)

Magnussen explicou que estava confiante com o trabalho feito junto da Haas, por isso, o sabor ainda mais amargo de deixar a disputa tão cedo.

“Estou muito decepcionado, acho que poderíamos fazer algo hoje, tínhamos nos preparado da melhor forma possível. Classificamos do melhor modo que deu, larguei bem, ganhei posições na primeira volta, estava perto do top-10. Parecia bom, muito frustrante”, completou.

Magnussen tem um ponto em 2020, o único anotado até aqui pela Haas na temporada.

Paddockast #72 | OS CARROS MAIS DOMINANTES DA HISTÓRIA DA F1
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar